Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Tia de Angelina Jolie morreu com cancro

Debbie Martin, tia da atriz norte-americana, morreu aos 61 anos vítima de um cancro de origem hereditária, com origem numa mutação no gene BRCA1, o mesmo que levou a atriz a fazer uma dupla mastectomia.
27 de Maio de 2013 às 11:32
Aos 37 anos, a atriz optou por remover as duas mamas, por ter elevados riscos de contrair cancro de mama
Aos 37 anos, a atriz optou por remover as duas mamas, por ter elevados riscos de contrair cancro de mama FOTO: EPA

A tia de Angelina Jolie morreu, este domingo, vítima de cancro da mama, apenas duas semanas depois de a atriz ter gerado polémica ao anunciar que tinha removido as duas mamas, para reduzir as hipóteses de ter a doença.


Debbie Martin, de 61 anos, morreu domingo de manhã, no Centro Médico de Palomar, na Califórnia. A atriz norte-americana não estava presente no dia da morte, mas fazia visitas regulares à tia desde que lhe foi diagnosticada a doença, disse Ronald Martin, o marido de Debbie, à revista “People”.Tanto a atriz como o irmão, James Haven, estiveram em contacto durante a semana com os tios durante a semana, para transmitir apoio. "Ela e a minha mulher  comunicavam por mensagem de texto. Era difícil para minha mulher, durante esses últimos meses, comunicar", disse Ronald.


Martin era irmã biológica da mãe de Jolie, que também morreu em 2007, aos 56 anos, depois de dez anos a lutar contra a doença. As duas irmãs tinham uma mutação do gene BRCA1, o mesmo que também foi identificado em Angelina Jolie e que a levou a fazer a dupla mastectomia.


Aos 37 anos, a atriz optou por remover as duas mamas, por ter elevados riscos de contrair cancro de mama. Com o procedimento reduziu o risco de desenvolver a doença de 87% para menos de 5%. A cirurgia preventiva é recomendada a quem tenha precisamente alterações nos genes BRCA1 e BRCA2 e histórias familiares muito pesadas, como no caso de Angelina.

Apesar de o procedimento ter reduzido o risco de desenvolver a doença de 87% para menos de 5%, os riscos de a atriz desenvolver cancro dos ovários são também elevados. Com esta mutação genética, tão importante como remover as mamas é retirar os ovários, pois o cancro nestes órgãos pode ser mais difícil de detectar e, em geral, mais agressivo. A atriz ainda não se submeteu a esta operação pela idade que tem e por ainda pensar em ter mais filhos, no entanto, Jolie não exclui esta possibilidade.

 

Angelina Jolie Tia Morte Cancro
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)