Correio da Manhã

Recondução da PGR provoca cisão no PSD
Foto Lusa
Rui Rio
Foto Lusa
Foto CMTV
Rui Rio
Foto CMTV
Rui Rio acusa Governo de "irresponsabilidade política"
Por Salomé Pinto | 01:30
  • Partilhe
Rio diz que é um erro apoiar a procuradora-geral antes de ser ouvido pelo Governo. Secretário-geral e deputados defendem continuação.

A recondução de Joana Marques Vidal para o segundo mandato como Procuradora-Geral da República (PGR) abriu uma nova ferida no seio do PSD. Esta sexta-feira, o líder social-democrata, Rui Rio, criticou os políticos e, entre eles, os seus correligionários de partido, que defendem a manutenção da atual PGR.

"Este debate público é um erro. Isto tem que ser feito sem partidarização", disparou Rio. A bala acabaria por atingir diretamente o coração laranja. Momentos antes, o secretário-geral, José Silvano, e o eurodeputado, Paulo Rangel, tinham apoiado a continuação de Marques Vidal no cargo.

Rio considera que o PSD só deve tomar uma posição depois de ser consultado pelo Governo, o que ainda não aconteceu. Mas vários deputados como António Leitão Amaro ou Duarte Marques já assumiram publicamente a defesa da recondução de Marques Vidal.

"Não é por uma questão de partidarização, mas pela evidência do sucesso da atual PGR", declarou ao Correio da Manhã o vice-presidente da bancada parlamentar, Leitão Amaro. "Só com esta PGR começaram a ser investigados casos de corrupção que envolvem altas figuras da Política e da Economia", como José Sócrates ou Ricardo Salgado.

"Esta descoordenação era escusada", admite ao CM fonte social-democrata. Mas reconhece que "também poderá ser uma estratégia de Rio para não dar pretexto a Costa de não o consultar sobre o tema".

Siga o CM no Facebook.

  • Partilhe
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE