Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Ana Gomes à frente de Cristina Ferreira e próxima de André Ventura

Marcelo Rebelo de Sousa é o favorito nas Presidenciais de 2021.
João Maltez 24 de Fevereiro de 2020 às 01:30
Marcelo Rebelo de Sousa
Ana Gomes
Cristina Ferreira
Marcelo Rebelo de Sousa
Ana Gomes
Cristina Ferreira
Marcelo Rebelo de Sousa
Ana Gomes
Cristina Ferreira
A entrada em cena da ex-eurodeputada do PS Ana Gomes reduziu a margem do atual chefe do Estado na frente da corrida para as Presidenciais do próximo ano.

Nas intenções de voto expressas no barómetro de fevereiro da Intercampus para o CM, CMTV e 'Negócios', Marcelo Rebelo de Sousa mantém-se como o grande favorito, ao recolher a preferência de 58,5% dos inquiridos, mas sofre uma queda de 10 pontos percentuais face ao mês antecedente.

Naquela que é a primeira aparição de Ana Gomes, como possível candidata a Belém, no barómetro da Intercampus, a antiga dirigente socialista, que se tem destacado pelo ativismo anticorrupção, recolhe 8,8% das intenções de voto. Ainda assim, obtém um valor abaixo dos 9,3% (mais seis décimas face a janeiro) do deputado do Chega, André Ventura, que já este mês anunciou a sua intenção de ser candidato à Presidência da República.

Com a intromissão destas duas figuras na corrida às eleições de janeiro de 2021, Marcelo Rebelo de Sousa afasta-se, para já, da votação histórica obtida por Mário Soares, que em 1991, para um segundo mandato presidencial, atingiu os 70,35%.

Outra curiosidade deste barómetro é a integração no painel de possíveis candidatos à chefia do Estado da apresentadora de televisão Cristina Ferreira, que já admitiu a possibilidade de, um dia, poder concorrer à Presidência da República. Face às intenções de voto declaradas (apenas 2,4% dos inquiridos), se as eleições se realizassem este mês conseguiria um resultado inexpressivo. Serviria de consolo a possibilidade de ficar à frente do atual presidente do PS, Carlos César, que é a escolha de 1,3%.

Entre os possíveis candidatos de partidos à esquerda do PS, quer a bloquista Marisa Matias (4,6% das intenções de voto), quer o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa (2,6%), arrecadariam resultados relativamente modestos, segundo a sondagem da Intercampus.

PORMENORES
Melhor do que em 2016
Pese embora registe, entre janeiro e fevereiro, uma queda de 10 pontos percentuais nos estudos feitos pela Intercampus, passando para 58,5%, numa possível reeleição o atual Presidente da República conseguiria o apoio de mais eleitores, já que em 2016 obteve 52% dos votos.

Só revela em novembro
Marcelo Rebelo de Sousa continua a manter em segredo se vai ou não recandidatar-se a um segundo mandato. A expectativa é de que concorra a um segundo mandato, mas já fez saber que só revelará o que vai fazer em novembro deste ano.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)