Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

BE lamenta que função da polícia fique manchada por alguns elementos racistas

Ministério Público e a PSP abriram inquéritos aos incidentes no bairro da Jamaica.
Lusa 22 de Janeiro de 2019 às 19:59
Catarina Martins
Catarina Martins
Catarina Martins
Catarina Martins
Catarina Martins
Catarina Martins
Catarina Martins
Catarina Martins
Catarina Martins
A coordenadora do BE, Catarina Martins, lamentou esta terça-feira que a função essencial das forças de segurança fique manchada "por alguns elementos racistas e violentos" e pela impunidade, considerando que a manifestação de segunda-feira em Lisboa "foi maioritariamente pacífica".

À entrada para o ciclo de entrevistas "30 Portugueses, 1 País", Catarina Martins foi questionada pelos jornalistas sobre os recentes episódios de violência na Grande Lisboa e as críticas feitas ao BE de incitação à violência com declarações, por exemplo, da deputada Joana Mortágua, tendo a líder do BE se escusado a responder diretamente a estas acusações.

"As forças de segurança desempenham uma função essencial e não deveriam ser manchadas por alguns elementos racistas e violentos no seu seio e pela impunidade com que, muitas vezes, essas situações são tratadas", disse Catarina Martins.

Segundo a líder o BE, na segunda-feira, assistiu-se "a uma manifestação importante na Avenida da Liberdade, maioritariamente pacífica, de jovens que dizem basta à impunidade e basta à violência policial racista".

"E é importante dizer a estes jovens que a sua mensagem foi ouvida, que eles não estão sozinhos e que há muita gente que percebe o problema e eu faço-lhes um apelo: é que não caiam na tentação, não caiam no erro de responder à violência com violência", salientou.

O Ministério Público, continuou Catarina Martins, "já anunciou a abertura de um inquérito" e o grupo parlamentar do BE "questionou o Governo sobre as responsabilidades próprias da tutela", esperando que "haja investigação e consequências atempadamente".

Interrogada diversas vezes sobre as críticas de incitação à violência e sobre a responsabilidade do BE, Catarina Martins optou sempre por não responder, apesar da insistência dos jornalistas, repetindo os argumentos que já tinha apresentado.

A PSP reforçou esta terça-feira o policiamento com elementos da Unidade Especial de Polícia na Bela Vista, em Setúbal, e em algumas zonas de Loures e Odivelas (distrito de Lisboa), após incidentes registados durante a noite, com o lançamento de "cocktails Molotov" contra uma esquadra e o incêndio de caixotes e de várias viaturas.

Em comunicado, a PSP informou que continua as investigações a estes incidentes, "nada indiciando, até ao momento, que estejam associados à manifestação" de protesto contra uma intervenção policial no bairro da Jamaica, no Seixal (Setúbal).

Após a manifestação em frente ao Ministério da Administração Interna na segunda-feira, em Lisboa, quatro pessoas foram detidas na sequência do apedrejamento de elementos da PSP por participantes no protesto, convocado para dizer "basta à violência policial" e "abaixo o racismo".

Este protesto ocorreu um dia depois de incidentes em Vale de Chícharos, conhecido por bairro da Jamaica, entre a PSP e moradores, de que resultaram feridos cinco civis e um polícia, sem gravidade.

O Ministério Público e a PSP abriram inquéritos aos incidentes no bairro da Jamaica.

Os quatro manifestantes detidos em Lisboa vão ser julgados sumariamente em 07 de fevereiro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)