Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Tiros e pedradas na Baixa de Lisboa fazem feridos e quatro detidos

Viaturas civis, policiais e agentes em serviço foram atingidos. Viveram-se momentos de pânico.
Daniela Vilar Santos, João Carlos Rodrigues, Miguel Curado, Pedro Almeida, Ana Botto e Catarina Correia Rocha 21 de Janeiro de 2019 às 18:57
A carregar o vídeo ...
Vídeo mostra momento do tiroteio na Baixa de Lisboa
Novos confrontos entre moradores do Bairro da Jamaica, no Seixal, e a polícia aconteceram esta segunda-feira na Baixa de Lisboa, provocando momentos de forte tensão numa das zonas mais movimentadas da capital. A polícia foi atacada à pedrada, tendo respondido com tiros, sabe o CM. Há vários feridos e quatro detidos.

Fonte oficial da PSP confirmou as quatro detenções e a necessidade de dispersão, depois de vários tiros para afastar os manifestantes, que atiraram pedras contra viaturas civis, policiais e agentes em serviço.

Os quatro detidos nos confrontos entre polícia e populares que protestavam contra a intervenção policial no Bairro da Jamaica, concelho do Seixal, distrito de Setúbal, têm julgamento sumário marcado para 07 de fevereiro.

"Os detidos, indiciados pela prática dos crimes de ofensas à integridade física qualificada, injúria agravada e desobediência qualificada, foram hoje presentes ao Ministério Público, tendo sido notificados para audiência de julgamento no dia 07 de fevereiro, pelas 09h30", refere o Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP, em comunicado.

"Foram feitas quatro detenções na sequência dos confrontos na descida da Avenida. Houve alguns disparos feitos de advertência, de borracha para o ar, para dispersar. Houve uma necessidade de dispersar esses manifestantes que reagiram com pedras da calçada. Foram ainda lançados petardos contra polícias", começou por dizer um dos elementos policiais presentes, em jeito de balanço, assegurando que agora o ambiente "está mais calmo".

"Os ânimos agora estão calmos, a cidade está segura, mas vamos manter-nos aqui até dispersarem totalmente", acrescentou, sublinhando ainda que várias viaturas policiais ficaram danificadas.

Tudo começou com um grupo de cerca de 50 elementos do Bairro do Jamaica que começou por apedrejar os meios policiais junto ao Ministério da Administração Interna, no Terreiro do Paço, em Lisboa.

Depois, dispersaram em direção à Avenida da Liberdade, em Lisboa, seguiram pelos Restauradores e pelo Rossio, local onde começaram a apedrejar carros e estabelecimentos comerciais, rebentando petardos contra a PSP.

A circulação foi cortada ao trânsito pelos autores dos distúrbios junto à rotunda do Marquês de Pombal, antes da intervenção policial. São várias as viaturas da polícia junto à Praça dos Restauradores com o objetivo de travar os momentos de tensão.
PSP Marquês de Pombal Lisboa
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)