Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

Funcionários públicos lançam-se contra Rui Rio

Líder do PSD diz que “há professores a mais” e quer “emagrecer a administração pública”.
Salomé Pinto 26 de Julho de 2019 às 08:44
Rui Rio quer controlar a despesa pública através da redução de funcionários
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio quer controlar a despesa pública através da redução de funcionários
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio quer controlar a despesa pública através da redução de funcionários
Rui Rio
Rui Rio
O presidente do PSD, Rui Rio, declarou guerra aos funcionários públicos, sobretudo aos professores, na entrevista que deu à rádio Observador com expressões que caíram como bombas entre o setor: "Temos de emagrecer a administração pública" e "há professores a mais" porque "há menos crianças".

Do outro lado das trincheiras, nem os sindicatos que representam os docentes, nem os da Função Pública gostaram do que ouviram. "A ideia de Rui Rio de que há professores a mais é absolutamente falsa. Trata-se de um raciocínio economicista já usado pelo governo de Passos Coelho", atirou João Louceiro, da direção nacional da Fenprof.

Neste momento, há 128 431 docentes nas instituições de ensino público, desde os jardins de infância até às escolas secundárias, segundo o Ministério da Educação. "Muitas turmas ficaram sem aulas este ano letivo por falta de professores", sublinhou João Dias da Silva, secretário-geral da FNE ao CM. Apesar de haver menos crianças, "tem havido uma redução ainda maior de docentes por via de aposentação", fundamenta também o sindicalista.

"Rui Rio o que quer é destruir e privatizar as funções sociais do Estado", responde Ana Avoila, coordenadora da Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública. "Há falta de trabalhadores, por isso a ideia não tem consistência nenhuma", reforça José Abraão, secretário-geral da Fesap.

Reunião na sede quase acaba à pancada
A inclusão de Duarte Marques em vez de Ramiro Matos na lista do PSD de Santarém para as legislativas gerou muita tensão na última reunião entre a distrital e a direção nacional, que quase acabou à pancada.

O confronto deu-se quarta-feira entre Ricardo Gonçalves e Nuno Morais Sarmento, que foi acusado pelo autarca de ser o "padrinho" de Duarte Marques. O ‘vice’ de Rio reagiu e mandou o edil limpar terrenos por causa dos incêndios.

Braço de ferro nas distritais de Setúbal e Lisboa
A distrital do PSD de Setúbal acusou ontem a direção nacional de "promover a divisão e a intriga" ao decidir "de forma unilateral avocar a si o processo de elaboração de listas", afirmou o líder da distrital Bruno Vitorino. Rui Rio afastou Maria Luís Albuquerque e "não está a respeitar as estruturas do partido nem os estatutos", sublinhou.

Em Lisboa, o clima também está tenso. A distrital quer incluir na lista o autarca de Cascais Miguel Pinto Luz, mas a direção nacional não deverá seguir essa indicação.
Rui Rio Setúbal PSD Duarte Marques Rio Lisboa política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)