Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

Governo "continua a aguardar" contrapropostas sobre aumentos salariais

Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública garante que vai analisá-las "com todo o cuidado e com grande abertura".
Lusa 14 de Fevereiro de 2020 às 17:03
Alexandra Leitão
Alexandra Leitão
Alexandra Leitão
Alexandra Leitão
Alexandra Leitão
Alexandra Leitão
A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública afirmou esta sexta-feira continuar à espera da contraproposta de estruturas sindicais à proposta governamental de atualização de sete euros para os dois patamares mais baixos da Tabela Remuneratória Única (TRU).

"Continuamos a aguardar a contraproposta das estruturas sindicais que manifestaram interesse em enviá-la e vamos analisá-la com todo o cuidado e com grande abertura, porque achamos que conseguir fazer um acordo seria muito importante para o futuro, para a paz social", afirmou aos jornalistas, ao início da tarde, a ministra Alexandra Leitão.

"Continuamos a aguardar essa contraproposta que, analisaremos com - repito - muito cuidado e com grande abertura", sublinhou.

No final da anterior reunião com o Governo, tanto a Frente Sindical liderada pelo Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) como a Federação dos Sindicatos da Administração Pública (Fesap), referiram que vão entregar contrapropostas para negociação, que serão discutidas na próxima reunião, que terá lugar na próxima segunda-feira.

Já hoje, em comunicado, o STE reafirmou que na próxima reunião vai entregar uma contraproposta salarial.

Por sua vez, a Frente Comum afirmou então que não fará uma contraproposta por não ter ainda tido resposta do Governo à proposta negocial que entregou ao Governo antes da apresentação do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020).

Quanto às ameaças de greve por parte de alguns sindicatos, a ministra salientou que prefere um clima "de paz social" e de "estabilidade laboral, mas, naturalmente, a greve é um direito" que respeitará sempre.

Na segunda-feira, o Governo apresentou às estruturas sindicais da função pública uma proposta de atualização de sete euros para os dois patamares mais baixos da TRU da função pública, que acresce aos 0,3% que já tinham sido decididos.

Assim, as remunerações de nível 4 da TRU (que corresponde ao valor mais baixo da carreira de assistente operacional) avançará dos atuais 635,07 euros para 642,07 euros. Já as do nível 5 (que correspondem à base salarial dos assistentes técnicos ou administrativos), sobem de 683,13 euros para 690,13 euros.

Este aumento traduz uma atualização ligeiramente acima de 1%, entre os níveis 4 e 5 da TRU, em linha com a previsão de subida da inflação do Governo para 2020.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)