Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Marcelo lembra Arnaldo Matos como "defensor da Liberdade" e a Internet não poupa o Presidente

Fundador do PCTP/MRPP morreu esta sexta-feira aos 79 anos.
22 de Fevereiro de 2019 às 18:24
Arnaldo de Matos, fundador do PCTP/MRPP
Arnaldo de Matos
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Arnaldo de Matos, fundador do PCTP/MRPP
Arnaldo de Matos
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Arnaldo de Matos, fundador do PCTP/MRPP
Arnaldo de Matos
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou esta sexta-feira que o fundador do PCTP-MRPP Arnaldo Matos "ficará na memória de todos como um defensor ardente da liberdade" e que a sua morte deixa Portugal mais pobre.

Através de uma nota publicada no portal da Presidência da República na Internet, o chefe de Estado envia "sentidas condolências" à família de Arnaldo Matos, que morreu esta sexta-feira de madrugada, aos 79 anos, e enaltece o seu contributo para o debate democrático em Portugal.

A Internet não poupou críticas ao Presidente após ter lembrado o fundador do PCTP-MRPP como "um defensor ardente da liberdade". Muitos foram aqueles que se mostraram o seu descontentamento, criticando Marcelo Rebelo de Sousa pela sua mensagem de condolências à família de Arnaldo Matos. 



















Arnaldo Matias de Matos nasceu na Madeira, em Santa Cruz, em 24 de fevereiro de 1939. Morreu esta sexta-feira aos 79 anos.

Foi um dos fundadores do Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado (MRPP), em Lisboa, na clandestinidade, em 18 de setembro de 1970, juntamente com Vidaúl Ferreira, Fernando Rosas e João Machado, que mais tarde se transformou em PCTP (Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses)/MRPP, e do qual foi o seu líder histórico.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)