Prédios da Selminho rendem três milhões

Terreno na calçada da Arrábida avaliado em 1,5 milhões tem valor potencial de venda de 6,6 milhões.
Por Manuel Jorge Bento|27.05.17
Prédios da Selminho rendem três milhões
Terrenos da calçada da Arrábida que estão no centro da polémica com a Câmara Municipal do Porto Foto Direitos Reservados
A petição inicial da Selminho – empresa da família do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira – contra a autarquia, datada de 2010, revela que o terreno de que é proprietária, na calçada da Arrábida, valia 1,52 milhões de euros e deixou de ter valor com a perda dos direitos de construção, após a entrada em vigor das medidas preventivas, em 2002.

A avaliação, que está no processo consultado pelo CM, indica que, se o empreendimento fosse construído, a propriedade teria um valor potencial de venda de 6,6 milhões de euros. A empresa teria encargos de 3,6 milhões com a empreitada, o que totalizaria um ganho de cerca de três milhões de euros.

A avaliação, feita pela F. Value em 2010, apontava para a construção de 20 habitações no referido terreno, com um valor médio de venda de 330 mil euros. Os números podem, agora, ser superiores, já que, no condomínio Douro Foz, construído junto à rua do Ouro, à cota da estrada, há hoje apartamentos à venda por 450 mil euros.
A propriedade de 2260 metros quadrados tinha, no Plano Diretor Municipal (PDM) de 1991, capacidade construtiva.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!