PS absoluto

O secretário-geral José Sócrates conseguiu para os socialistas uma "vitória absolutamente memorável", como sublinhou o porta-voz Silva Pereira. De acordo com as sondagens reveladas pelas televisões RTP, SIC e TVI, o Partido Socialista venceu as legislativas deste domingo com maioria absoluta.
20.02.05
  • partilhe
  • 0
  • +
Com uma taxa de abstenção que rondará os 30 por cento (menos quase 8% que nas legislativas de 2002), a expressão eleitoral deste domingo deu ao partido vencedor não só a maioria absoluta pedida ao eleitorado como uma legitimidade de poder necessária para os desafios governativos que se avizinham.
Recorde-se que a última abstenção a este nível registada em eleições legislativas foi em 1991, quando Cavaco Silva conseguiu maioria absoluta para o PSD.
Destas eleições deverá sair a legislatura com maior representação de 'esquerda' desde 1976. E, caso se confirmem as projecções, o PS obtém a primeira maioria absoluta alguma vez conquistada em Portugal por um partido que estava na Oposição.
BE TRIPLICA; CDS-PP ABAIXO DA FASQUIA
Numa breve síntese, as projecções permitem apurar que os partidos do governo cessante - PSD e CDS-PP - saíram penalizados. O Bloco de Esquerda quase triplica a sua votação, mas não atinge o objectivo de se afirmar como terceiro partido no Parlamento. E Jerónimo de Sousa consegue reforçar a posição da CDU como terceira força parlamentar.
Paulo Portas poderá ser o grande derrotado nestas eleições, uma vez que todas as projecções colocam o CDS-PP abaixo dos 10 por cento pedidos. O 'vice' Pires de Lima já admitiu, aliás, a derrota do CDS-PP. De acordo com as projecções, o partido poderá não conseguir igualar a representação parlamentar de 12 deputados que tinha na anterior legislatura.
MARCELO TRAÇA LIMITE MÍNIMO ACEITÁVEL
Santana Lopes sofre uma pesada derrota nas urnas, deixando o PSD com menos cerca de 10 por cento dos votos que Durão Barroso obteve em 2002.
Marcelo Rebelo de Sousa, ex-líder do PSD e comentador na RTP, declarou que, caso os social-democratas não obtenham mais de 29% nestas eleições, Santana Lopes deve convocar um Congresso para que os delegados escolham uma nova liderança para o partido.
Miguel Veiga, fundador do PPD-PSD, declarou à Rádio TSF que Santana Lopes deve demitir-se da liderança do partido e acrescentou que Marques Mendes é uma pessoa "muitíssimo bem posicionada" para 'pegar no leme' da social-democracia portuguesa.
NOVOS PARTIDOS NA ASSEMBLEIA
Estas eleições legislativas, que terão dado a maioria absoluta ao PS, reforçando a esquerda parlamentar, particularmente o BE, e penalizando a direita; terão tido também um outro efeito - além da menos abstenção - de prestígio para a democracia portuguesa.
O PSD de Santana Lopes não obteve a vitória pedida aos eleitores (terá mesmo perdido, mais ou menos, 10% dos votos), mas abriu as portas da Assembleia da República a dois novos partidos que integravam a sua plataforma eleitoral: o Partido da Terra e o Partido Popular Monárquico.
Com estas duas prováveis entradas, a próxima legislatura passará a ter 8 partidos com assento parlamentar.
PROJECÇÕES
RTP / UNIVERSIDADE CATÓLICA
O PS vence as eleições com 45% a 49% dos votos, equivalentes à eleição de 124 a 136 deputados (em 2002 elegeu 95 deputados, com 37,8% dos votos). Precisava de eleger 116 deputados para ter maioria absoluta. O PSD foi o segundo partido mais votado, com 25% a 29% (entre 62 a 70 deputados; tinha 102 deputados na anterior legislatura). CDU e Bloco de Esquerda empatam nesta projecção com 6% a 8% (entre 10 a 14 deputados). Em 2002, a CDU obteve 8,7% (14 deputados) e o BE 2,7% (3 deputados). O CDS-PP terá entre 5% a 7% (7 a 10 deputados).
SIC / EUROSONDAGEM
O PS vence com 46,9% a 50,7% dos votos (entre 123 a 130 deputados). O PSD fica em segundo com 23,3% a 27,1% (entre 65 a 75 deputados). A CDU será a terceira formação partidária mais votada, com 7,5% a 9,3% (entre 14 a 16 deputados). O CDS-PP ficará entre os 6,1% e os 7,9% (entre 9 a 13 deputados). A projecção coloca o BE num intervalo de probabilidade igual, mas com menos deputados (entre 8 a 9).
TVI / INTERCAMPUS
Também nesta sondagem à boca das urnas o PS vence com 44,2% a 48,2% (117 a 127 deputados). O PSD ficará entre os 26,1% e os 30,1% (68 a 78 deputados). A CDU terá entre 6,4% a 9% dos votos (entre 12 a 18 deputados). O CDS-PP obterá entre 5,5% a 8,1% (entre 8 a 14 deputados). O BE conquistou entre 5,1% a 7,7% dos votos, correspondentes à eleição de 6 a 12 deputados.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!