PS PERDE TERRENO

Se as eleições legislativas ocorressem agora, o PS ganharia com 38 por cento dos votos, enquanto o PSD obteria 33,1 por cento e o CDS-PP 4,6. Segundo a sondagem do Correio da Manhã/Aximage, os socialistas conseguiriam maior percentagem de votos que os dois partidos da maioria juntos (37,7 por cento), mas têm vindo a perder terreno ao longo dos últimos meses.
14.09.04
  • partilhe
  • 0
  • +
A diferença para o PSD está agora nos 4,9 pontos percentuais, quando, em Junho, chegou aos 12,5.
O processo de eleição do novo líder do PS está a causar alguma indecisão entre o eleitorado socialista. Dos inquiridos da sondagem CM que votaram no PS nas últimas eleições legislativas, 15,4 por cento optam agora pela abstenção. Os socialistas parecem esperar pela escolha do novo líder para melhor compararem com os restantes partidos.
E neste tempo de espera o PS vai perdendo terreno para o PSD, embora continue à frente. Em Junho, o PS obteve 42,8 por cento das intenções de voto, enquanto o PSD ficava pelos 30,3 por cento. Uma diferença de 12,5 pontos percentuais que desceu claramente no mês seguinte. Em Julho, os socialistas baixaram para os 39,5 por cento e os sociais-democratas subiram para os 31,7 por cento, uma diferença de 7,8 pontos percentuais. Depois das férias de Agosto, a tendência mantém-se. Neste início de Setembro, o PS recolhe 38 por cento das intenções de voto e o PSD chega aos 33,1 por cento. A diferença entre os dois maiores partidos encontra-se já nos 4,9 pontos percentuais.
Uma diferença que ainda permite aos socialistas uma ligeira vantagem em relação aos dois partidos da maioria. PSD e CDS-PP juntos ficam--se pelos 37,7 por cento. A maioria tem vindo a subir ao longo dos últimos meses – 35 por cento em Junho, 35,9 por cento em Julho e agora 37,7 por cento – mas sempre devido ao aumento da intenção de voto no PSD. O menor partido da coligação tem manifestado alguma instabilidade. Em Junho, o CDS-PP recolhia 4,7 por cento, em Julho desceu para os 4,2 por cento e em Setembro voltou a subir para os 4,6 por cento.
Em quebra estão a CDU e o Bloco de Esquerda. Os comunistas estavam nos 6,4 por cento em Junho, passaram para os 4,8 em Julho e agora ficam-se pelos 4,1 por cento. De igual modo, os bloquistas chegavam aos 3,5 por cento em Julho e agora desceram para os três por cento.
FICHA TÉCNICA
OBJECTIVO: Intenção de voto legislativo.
UNIVERSO: Eleitores residentes em Portugal em lares com telefone fixo.
AMOSTRA: Aleatória estratificada por região, sexo, idade, actividade, instrução e voto legislativo, polietápica e representativa do universo, com 600 entrevistas telefónicas (346 a mulheres). COMPOSIÇÃO: Proporcional pela variável estratificação.
RESPOSTAS: Taxa de resposta de 86,6 por cento. Desvio-padrão máximo de 0,020.
REALIZAÇÃO: 6 a 8 de Setembro de 2004, para o Correio da Manhã pela Aximage, com a direcção técnica de Jorge Sá e Luís Reto.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!