Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Rui Rio diz que faltam em Portugal locais para eventos de grande dimensão

Presidente do PSD afirmou esta terça-feira que vê com bons olhos o projeto para expansão da Feira Internacional de Lisboa.
Lusa 22 de Janeiro de 2019 às 21:11
Rui Rio no Conselho Nacional do PSD
Rui Rio na Convenção Nacional do PSD
Rui Rio no Conselho Nacional do PSD
Rui Rio no Conselho Nacional do PSD
Rui Rio na Convenção Nacional do PSD
Rui Rio no Conselho Nacional do PSD
Rui Rio no Conselho Nacional do PSD
Rui Rio na Convenção Nacional do PSD
Rui Rio no Conselho Nacional do PSD
O presidente do PSD, Rui Rio, afirmou esta terça-feira que vê com bons olhos o projeto para expansão da Feira Internacional de Lisboa (FIL), dado que Portugal carece de locais para a realização de eventos de grande dimensão.

O presidente do PSD reuniu-se esta terça-feira na sede nacional do partido, em Lisboa, com a Fundação AIP, que lhe apresentou o projeto de alargamento das instalações na FIL, no Parque das Nações.

No fim da reunião, e em declarações aos jornalistas, Rio afirmou que a "Fundação AIP veio apresentar um projeto de investimento para que Portugal tenha uma coisa que não tem, é oferta para a realização não é de grandes congressos, de grandes eventos, é de muito grandes eventos, portanto, e eventos que possam albergar até 15, 16, 17 mil pessoas".

"Temos escassez dessa oferta -- eu próprio tinha noção disso quando desempenhava outras funções -- e, portanto, é um investimento efetivamente de grande interesse público, de grande interesse até para efeitos de captação de investimento estrangeiro, que é fundamental para Portugal", salientou.

Ainda que faltem conhecer "os pormenores da forma como é concretizado", o líder dos sociais-democratas disse que "o projeto em si é extremamente interessante".

O presidente da Fundação AIP, Jorge Rocha de Matos, referiu aos jornalistas que o objetivo é que este "seja um dos projetos mais bonitos de toda a Europa".

A organização pretende ainda que o projeto "seja motivador" para que aqueles que visitam Portugal em turismo de negócios se sintam "atraídos pela cidade capital numa primeira linha, e depois partes do território nacional numa segunda incursão".

Questionado sobre o prazo de conclusão da obra, Rocha de Matos afirmou que "o projeto foi idealizado para ser feito em 10 anos", mas a intenção é que esteja conclusão "em três, tendo em vista compromissos que têm sido assumidos no quadro internacional".

Um desses compromissos é a cimeira da tecnologia e inovação Web Summit, que vai continuar a realizar-se em Lisboa mediante a expansão da FIL e contrapartidas anuais de 11 milhões de euros.

Questionado sobre o porquê de terem pedido para serem recebidos pelo PSD, o presidente da Fundação AIP defendeu que, "quem tem a responsabilidade política neste país, quer seja Governo, quer seja oposição, deve saber aquilo que se está a passar, que investimentos é que vão ser feitos, qual é o impacto que eles podem ter na sociedade, na economia, na região e no país em geral".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)