Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

UGT quer celeridade na indigitação de António Costa

O secretário-geral da UGT reuniu-se com o Presidente da República.
13 de Novembro de 2015 às 19:14
O secretário-geral da UGT Carlos Silva
O secretário-geral da UGT Carlos Silva FOTO: Manuel de Almeida/Lusa

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, defendeu esta sexta-feira junto do Presidente da República, Cavaco Silva, celeridade na indigitação como primeiro-ministro do líder do PS, António Costa, e manifestou-se "frontal e radicalmente contra" um eventual esvaziamento da concertação social.

"É necessário celeridade. Gostaríamos que não houvesse um governo de gestão e, claramente, em função do acordo que está estabelecido pelos partidos [de esquerda] na Assembleia da República, transmitimos ao senhor Presidente que na nossa opinião era importante dar a indigitação ao doutor António Costa para constituir o próximo governo", afirmou Carlos Silva.

À saída de uma audiência com o Presidente da República, Cavaco Silva, no Palácio de Belém, a última com os parceiros sociais, o secretário-geral da UGT manifestou-se "frontal e radicalmente contra" um eventual esvaziamento da concertação social, considerando, contudo, que o PS sempre a valorizou.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)