Supremo rejeita recurso de antigo juiz-presidente condenado por violência doméstica

Miguel Cerveira Pinto foi condenado a uma pena suspensa de dois anos e três meses e ao pagamento de 12.000 euros à vítima.
Por Lusa|27.11.17
O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou o recurso de um antigo presidente do Tribunal Administrativo e Fiscal de Mirandela condenado por "maus-tratos físicos e psíquicos" à companheira, que incluem "a ausência de relações sexuais" durante 11 anos.

Miguel Cerveira Pinto foi condenado em julho deste ano pelo Tribunal de Relação de Guimarães a uma pena suspensa de dois anos e três meses de prisão por violência doméstica e ao pagamento de 12.000 euros à vítima, na sequência do recurso interposto pela ex-mulher, que viu o ex-companheiro ser absolvido deste crime pelo Tribunal de Bragança.

O arguido recorreu para o STJ que, por acórdão a que a agência Lusa teve esta segunda-feira acesso, rejeitou a admissão do recurso, justificando com a lei, a qual estabelece a "irrecorribilidade dos acórdãos do Tribunal da Relação" que, face à absolvição em primeira instância, condenam o arguido em pena não privativa da liberdade ou em pena de prisão não superior a cinco anos.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!