Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Agricultor preso por escravizar

Vítima, de 42 anos, dormia em barracão imundo.
Liliana Rodrigues 8 de Janeiro de 2016 às 08:27
Edifício da Polícia Judiciária do Porto
Edifício da Polícia Judiciária do Porto FOTO: Rafaela Cadilhe

Durante dois anos foi escravizado, ameaçado, espancado e até privado de comida. Mantido em cativeiro e obrigado a trabalhar horas a fio, sem descanso.

À segunda tentativa, a vítima, de 42 anos, conseguiu fugir do inferno que viveu em Sambade, Alfandega da Fé, para onde foi levado por um agricultor, detido pela Polícia Judiciária do Porto.

O arguido, de 38 anos, está indiciado por escravidão e tráfico de pessoas para fins de exploração laboral. Foi esta quinta presente ao tribunal de Macedo de Cavaleiros e depois libertado pelo juiz.

A vítima, natural de Penafiel, sofre de um atraso mental e tem problemas de alcoolismo. Foi aliciado pelo agricultor que lhe prometeu ajuda, mas acabou por levá-lo para uma vida de horror.

Retirou-lhe os documentos e pôs o homem a trabalhar de sol a sol sem nunca lhe pagar. Deixava-o pernoitar num barracão imundo, sem casa de banho e onde só podia tomar banho de mangueira e no exterior. Na primeira tentativa de fuga, foi recapturado e brutalmente pontapeado em todo o corpo pelo arguido.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)