MP pede pena suspensa para condutor alcoolizado que matou bombeiro

Condutor tinha 2,62 g/l de álcool no sangue. Julgamento decorre em Sintra.
Por Miguel Curado|18.11.18
O Ministério Público de Sintra quer ver condenado, embora com suspensão da pena, o homem de 29 anos que está a ser julgado por, a 22 de junho de 2016, ter atropelado mortalmente o bombeiro João Daniel Silva numa rua da Agualva, quando conduzia com uma taxa-crime de álcool no sangue de 2,62 g/l. A vítima, que trabalhava na corporação de Belas, morreu aos 57 anos.

Rui Miguel Braz, o arguido, tem 29 anos. Está acusado de homicídio por negligência e condução com álcool. Segundo a acusação, conduzia a viatura própria na noite dos crimes, no sentido descendente da avenida Infante D. Henrique, na Agualva. Com uma condução perigosa, nem terá reparado que o bombeiro João Daniel Silva atravessava a estrada. O embate foi tão violento que o corpo da vítima mortal foi projetado por cima do gradeamento de uma moradia com dois metros de altura, caindo depois no quintal.

Em pânico, Rui Miguel Braz foi confrontado por vários transeuntes com a situação, garantindo não se ter apercebido de que tinha atropelado um peão. João Daniel Silva, por seu turno, foi assistido pelos ex-colegas da corporação de Agualva-Cacém, acabando o óbito por ser declarado no local. No julgamento, o Ministério Público e a defesa de Rui Miguel Braz pediram uma condenação, com pena suspensa, do arguido, por este não ter antecedentes. Já o advogado da família da vítima pediu que seja condenado à pena máxima.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!