Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

"Caiu morto ao meu lado"

Uma troca de bocas entre dois ‘amigos' no café Central do Furadouro, uma pequena aldeia no concelho de Torres Vedras, acabou anteontem à noite em homicídio. João Lourenço Agostinho, empresário de 58 anos, foi assassinado com um tiro de caçadeira desferido por António Miranda dos Santos, 59 anos. Teve morte imediata.
17 de Março de 2013 às 01:00

"Estávamos aqui a ver o futebol e eles trocaram uma ‘bocas'. O João ainda ameaçou que lhe partia ‘um copo nas trombas', e o António saiu do café. Dois minutos depois voltou com a caçadeira na mão. Deu um passo dentro do café e disparou. O João foi atingido na cara e caiu morto ao meu lado", contou ontem ao CM Luís Alberto, que estava sentado à esquerda da vítima. "É uma imagem que não vou esquecer", acrescenta.

Luís Alberto "não foi atingido por centímetros", relatam alguns dos clientes que naquela altura estavam no café. "Pensei que fosse voltar a disparar. Ainda me escondi num canto, mas pousou a arma e voltou a sair", recorda Luís Alberto.

António dos Santos voltou para casa, a 30 metros do café Central de Furadouro, onde esperou pela GNR. Foi detido e já está em preventiva, depois de ter sido interrogado.

Segundo o CM apurou, o homicida trabalha num matadouro, mas estava de baixa devido a uma operação feita recentemente às varizes. Terá sido por causa desta intervenção médica que a discussão entre os vizinhos começou. Outros atribuem a culpa "ao álcool".

O Correio da Manhã tentou falar com familiares da vítima e do homicida, mas ninguém aceitou fazê-lo.

café torres vedras morte homicídio aldeia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)