Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Catapulta artesanal usada para atear fogos

Autoridades estão preparadas para lidar com este método menos convencional.
Tiago Virgílio Pereira, C.V. e H.S. 25 de Agosto de 2016 às 01:45
Populações desoladas porque têm de abandonar as suas casas devido às enormes labaredas que cercam aldeias
Populações desoladas porque têm de abandonar as suas casas devido às enormes labaredas que cercam aldeias FOTO: Paulo Cunha/Lusa
As autoridades policiais estão a investigar um método novo que está a ser usado pelos incendiários para atear focos de incêndio à distância. São pequenas catapultas feitas à mão. No braço são colocados objetos inflamáveis ou já em chama que depois são atirados para a floresta.

Além de atear o fogo mais longe, este método pretende confundir o trabalho das autoridades, que têm mais dificuldade em encontrar o autor do crime, por se encontrar afastado do local onde o incêndio tem início.

Segundo apurou o Correio da Manhã junto de fontes policiais, o método está a ser usado sobretudo na região Norte do País, onde várias catapultas artesanais foram encontradas e apreendidas no teatro de operações. Mas a polícia teme que o sistema possa vir a ser replicado por incendiários de outras localidades do País.

"O perfil do incendiário comum revela uma personalidade doentia. Capaz de arranjar esquemas e técnicas que não passam pela cabeça de uma pessoa sã", referiu outra fonte policial.

A Polícia Judiciária e a GNR estão atentas e preparadas para esta e outras manobras que fogem aos padrões convencionais. De realçar que grande parte dos incendiários detidos este ano integra, igualmente, um quadro de alcoolismo, desespero ou grande fascínio por ver a floresta a arder.
Polícia Judiciária GNR incêndios fogos catapulta incendiários
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)