Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Chefe do SEF foi suspenso de funções

Joaquim Patrício foi libertado mas está obrigado a apresentações diárias na GNR.
Rui Pando Gomes e Tiago Griff 28 de Julho de 2018 às 09:54
Joaquim Patrício  tem 56 anos  e fez carreira  no SEF  no Algarve.  Estava a chefiar a delegação de Albufeira desde 2013
Instalações do organismo  foram alvo de buscas, ontem de manhã,  por parte  de inspetores  da Diretoria  do Sul da Polícia Judiciária
Instalações do organismo  foram alvo de buscas, ontem de manhã,  por parte  de inspetores  da Diretoria  do Sul da Polícia Judiciária
Instalações do organismo  foram alvo de buscas, ontem de manhã,  por parte  de inspetores  da Diretoria  do Sul da Polícia Judiciária
Joaquim Patrício  tem 56 anos  e fez carreira  no SEF  no Algarve.  Estava a chefiar a delegação de Albufeira desde 2013
Instalações do organismo  foram alvo de buscas, ontem de manhã,  por parte  de inspetores  da Diretoria  do Sul da Polícia Judiciária
Instalações do organismo  foram alvo de buscas, ontem de manhã,  por parte  de inspetores  da Diretoria  do Sul da Polícia Judiciária
Instalações do organismo  foram alvo de buscas, ontem de manhã,  por parte  de inspetores  da Diretoria  do Sul da Polícia Judiciária
Joaquim Patrício  tem 56 anos  e fez carreira  no SEF  no Algarve.  Estava a chefiar a delegação de Albufeira desde 2013
Instalações do organismo  foram alvo de buscas, ontem de manhã,  por parte  de inspetores  da Diretoria  do Sul da Polícia Judiciária
Instalações do organismo  foram alvo de buscas, ontem de manhã,  por parte  de inspetores  da Diretoria  do Sul da Polícia Judiciária
Instalações do organismo  foram alvo de buscas, ontem de manhã,  por parte  de inspetores  da Diretoria  do Sul da Polícia Judiciária
O chefe da delegação de Albufeira do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), detido pela Polícia Judiciária (PJ) por corrupção, foi libertado mas foi suspenso de funções depois de ter sido ouvido, ontem, em primeiro interrogatório judicial.

Joaquim Patrício, de 56 anos, ao que o CM apurou, está indiciado de 17 crimes de corrupção passiva. No entanto, este número poderá subir com a continuação da investigação. É suspeito de ter recebido dinheiro para acelerar a emissão de títulos de autorização de residência. As quantias variavam entre 300 e 500 euros por cada caso.

O inspetor-chefe foi ouvido por uma juíza que lhe aplicou, como medidas de coação, as apresentações diárias à GNR, proibição de contactos com estrangeiros e funcionários do SEF e proibição de se ausentar de território nacional.

Fortes indícios sem pedido do MP para prisão preventiva    
Joaquim Patrício foi ontem levado para o Departamento de Investigação e Ação Penal de Faro por inspetores da PJ que o tinham detido no dia anterior. Entrou por volta das 14h00 e saiu às 17h30.

Ao que o CM apurou, apesar dos fortes indícios de corrupção que o Ministério Público (MP) tinha anunciado no dia anterior, o procurador de turno não pediu a prisão preventiva do responsável do SEF. Foi a juíza de instrução a aplicar as apresentações diárias à GNR como medida de coação.

PORMENORES 
Suspeitas de corrupção
O responsável do SEF de Albufeira foi detido, segundo revelou o Ministério Público, por "suspeitas da prática de crimes de corrupção passiva".

Quantias monetárias
Segundo o MP, "há suspeitas de que o detido recebia quantias monetárias de cidadãos estrangeiros mediante a promessa de rápida emissão de títulos de autorização de residência".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)