Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Corte de trânsito na Baixa

Menos 3500 carros por hora (hora de ponta) é a redução de tráfego que se prevê atingir com a implementação do novo plano de mobilidade da Baixa de Lisboa. Um projecto que, de acordo com a autarquia, deverá estar funcional até ao final do ano.
29 de Janeiro de 2009 às 00:30
Costa promoveu ontem uma sessão de apresentação do novo modelo
Costa promoveu ontem uma sessão de apresentação do novo modelo FOTO: José Sena Goulão/Lusa

"Eliminar o trânsito que vem à Baixa não para trabalhar, fazer compras, visitar ou residir, mas apenas como atalho" é, segundo o presidente da câmara, António Costa, o objectivo principal do novo modelo, com o qual se prevê reduzir em 70% o tráfego de atravessamento naquela zona da cidade (uma média actual de 5500 carros por hora). "Há caminhos alternativos", sublinhou o autarca da capital.

Numa sessão de apresentação do novo plano, que pretendeu desmistificar a ideia de que este modelo visa acabar com o trânsito na Baixa pombalina, António Costa garantiu que aquela zona vai continuar acessível ao transporte individual, mas ganhará "espaço e qualidade" para os peões na faixa ribeirinha. "O rio ficará mais acessível porque vamos eliminar o efeito barreira que é criado pelo tráfego", adiantou.

Para conseguir esta aproximação, a autarquia planeia cortar o trânsito nas vias laterais da Praça do Comércio, enquanto que a av. Ribeira das Naus (que liga a av. Infante D. Henrique ao Cais do Sodré) ficará reduzida a duas faixas de rodagem para transportes individuais, o que possibilitará o alargamento do passeio para peões.

O plano de mobilidade encontra-se em consulta pública por tempo indeterminado. Mas fonte da presidência avançou ao CM que o objectivo do executivo alfacinha é pôr este modelo – que se arrasta desde 2006 – em prática ainda este ano.

METRO ENCERRA MAIS CEDO EM DUAS ESTAÇÕES

As estações de São Sebastião (linha azul) e do Saldanha (linha amarela) vão passar a encerrar às 21h30 a partir de segunda-feira, devido às obras de ligação da linha vermelha à rede. Na linha azul, a estação de São Sebastião do Metropolitano de Lisboa vai passar a encerrar às 21h30 (em vez da habitual 01h00) a partir de segunda-feira e até 06 de Abril. Como alternativa, o Metro sugere que os passageiros utilizem as estações de Praça de Espanha ou Parque (linha azul). A estação do Saldanha (linha amarela) vai fechar no próximo fim-de-semana, reabrindo na 2ª feira, às 06h30, mas "mantendo o horário de encerramento antecipado – às 21h30 – até 01 de Março", refere o Metro. Neste caso, e como alternativa, a empresa sugere a utilização do "átrio sul da estação Campo Pequeno e o átrio norte da estação de Picoas". O prolongamento da linha vermelha permitirá a interligação desta linha com as restantes três do metropolitano de Lisboa, o que facilita "as viagens que envolvam a utilização de mais do que uma linha". n Lusa

OUTROS DADOS

COMERCIANTES CONTRA

Comerciantes manifestaram--se contra as alterações ao trânsito na Baixa, por prejudicar o negócio. António Costa reagiu: "Não precisam de se preocupar, vão ter uma Baixa mais agradável para os seus clientes".

TROÇO ENCERRADO

A avenida Ribeira das Naus vai encerrar a 15 de Fevereiro para obras de "quatro ou cinco meses", adiantou Costa, sublinhando que a intervenção "pontual" nada tem que ver com o novo plano de mobilidade para a Baixa.

ACP LANÇA AMEAÇA

O Automóvel Clube de Portugal já admitiu impugnar judicialmente a decisão de cortar o trânsito na Baixa, com base num estudo do I.S. Técnico que concluiu que as medidas previstas terão "consequências gravosas", sobrecarregando as áreas envolventes.

Ver comentários