Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Dona de casa de prostituição recusa identificar juiz que recebeu sexo oral

Ana Loureiro denunciou caso, em que magistrado terá pedido a prostituta que realizasse o ato enquanto este ouvia uma criança.
Correio da Manhã 26 de Junho de 2020 às 09:11
Ana Loureiro recusa ser delatora
Ana Loureiro recusa ser delatora FOTO: Tiagou Sousa Dias
Ana Loureiro, dona de uma casa de prostituição no Campo Grande, Lisboa, recusou identificar o juiz que acusou no Parlamento de receber sexo oral durante videoconferências com menores. O Conselho Superior da Magistratura havia notificado Ana Loureiro solicitando a identificação do juiz.

A denúncia foi realizada num debate sobre a legalização da prostituição, em que Ana Loureiro foi ouvida como subscritora de uma petição com mais de quatro mil assinaturas, defendendo que a prostituição seja "uma profissão com descontos e regalias sociais como qualquer outro trabalho".
Conselho Superior da Magistratura Parlamento Campo Grande Ana Loureiro Lisboa questões sociais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)