Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Encontrado segundo caixote com substância suspeita no Barreiro

Comandante da GNR de Almada indicou que as duas ocorrências aconteceram na Rua Cidade de Setúbal, em Coina.
Lusa 25 de Julho de 2019 às 17:44
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
Encontrados engenhos explosivos em caixote de lixo em Coina
A GNR descobriu esta quinta-feira um segundo caixote do lixo com a mesma substância encontrada num contentor onde, segundo populares, terá ocorrido uma explosão, a cerca de 600 metros de distância, em Coina, no concelho do Barreiro.

Em declarações à Lusa, o comandante da GNR de Almada, Luís Maciel, indicou que ambas as ocorrências aconteceram na Rua Cidade de Setúbal, em Coina (distrito de Setúbal), e que os dois contentores tinham "material idêntico".

O porta-voz da GNR, Hélder Barros, tinha avançado à Lusa que o primeiro caixote do lixo encontrado continha alegadamente explosivos civis, utilizados em pedreiras, contudo, Luís Maciel esclareceu que "ainda não conseguiram comprovar que seja explosivo".

"Visualmente e com os testes que fizemos não foi possível esclarecer. Estamos à espera de uma equipa de matérias perigosas do nosso Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), que vem fazer a recolha para posterior avaliação do material", explicou.

Também o comandante da GNR do Montijo, Ricardo Samouqueiro, já tinha dito à Lusa que o material poderia não ser explosivo porque "não reagiu" aos testes feitos pelos militares, através de um petardo.

Segundo a GNR, o alerta para uma "alegada explosão num caixote do lixo" foi dado por populares, cerca das 11h00, tendo sido enviada para o local uma equipa de inativação para realizar uma "avaliação técnica" -- que descobriu, mais tarde, um segundo contentor na mesma rua.

Esta via encontra-se fechada desde as 11h00 e vai permanecer até cerca das 18h00, para que os militares dos GIPS recolham toda a substância, que será depois levada para análise.

De acordo com o comandante do Montijo, "não há nem houve qualquer risco para as populações", dado que foi logo isolada toda a área envolvente.

Ainda assim, referiu o militar, a corporação ainda não tem suspeitas de como o material foi parar aos contentores.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)