Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Encontro de extrema-direita da Europa em Lisboa está a ser acompanhado "muito de perto"

Nova Ordem Social, que tem como presidente Mário Machado, vai realizar a 10 de agosto, uma "conferência nacionalista".
Lusa 25 de Julho de 2019 às 19:28
Nova Ordem Social, que tem como presidente Mário Machado, vai realizar a 10 de agosto, uma 'conferência nacionalista'.
Nova Ordem Social, que tem como presidente Mário Machado, vai realizar a 10 de agosto, uma 'conferência nacionalista'.
Nova Ordem Social, que tem como presidente Mário Machado, vai realizar a 10 de agosto, uma 'conferência nacionalista'.
Nova Ordem Social, que tem como presidente Mário Machado, vai realizar a 10 de agosto, uma 'conferência nacionalista'.
Nova Ordem Social, que tem como presidente Mário Machado, vai realizar a 10 de agosto, uma 'conferência nacionalista'.
Nova Ordem Social, que tem como presidente Mário Machado, vai realizar a 10 de agosto, uma 'conferência nacionalista'.
O Serviço de Informações de Segurança está a acompanhar "muito de perto" a "conferência nacionalista" que se realiza a 10 de agosto em Lisboa e contará com representantes de partidos e movimentos europeus, disse esta quinta-feira à Lusa fonte policial.

A mesma fonte adiantou que o Serviço de Informações de Segurança (SIS) está a fazer uma monitorização da conferência.

A Nova Ordem Social, que tem como presidente Mário Machado, vai realizar a 10 de agosto, em Lisboa, uma "conferência nacionalista" e contará com a presença de representantes de partidos, organizações e movimentos europeus, estando já confirmados sete oradores, segundo informações da organização.

Além de Mário Machado, a conferência vai contar com Josele Sanchez (Espanha), Adrianna Gasiorek (Polónia), Blagovest Asenov (Bulgária), Francesca Rizzi (Itália), Mattias Deyda (Alemanha ), Yvan Benedetti (França).

O local da conferência, que a Nova Ordem Social considera ser "o maior evento nacionalista em Portugal", vai ser divulgado a 01 de agosto.

"Este evento, vai ter uma enorme projeção europeia, e como consequência, projetar ainda mais, a Nova Ordem Social", lê-se na página da internet deste movimento, referindo ainda que, "como sempre", vão "agilizar o protocolo de segurança com a PSP".

O Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2018 refere que a extrema-direita portuguesa continuou, no ano passado, "a revelar grande dinamismo na luta pela 'reconquista' da Europa, nomeadamente no que diz respeito ao combate à imigração ilegal, à islamização, ao multiculturalismo e ao marxismo cultural".

Segundo o RASI, o setor identitário e neofascista destacou-se novamente em 2018 através da organização de conferências, ações de propaganda, celebrações de datas simbólicas, ações de protesto, eventos musicais e sessões de treino de artes marciais, num "perfeito alinhamento com o modo de atuação dos seus congéneres europeus, com quem manteve contactos frequentes".

A tendência 'skinhead' neonazi esteve "menos ativa", mas manteve as suas atividades tradicionais, como concertos e reuniões, além de associar pontualmente às iniciativas do movimento identitário e neofascista, indica o RASI, frisando que a extrema direita registou "uma intensa difusão de propaganda em ambiente virtual, com o objetivo de criar condições favoráveis ao sucesso eleitoral de forças políticas nacionalistas ou populistas em 2019".
Lisboa Serviço de Informações de Segurança RASI Nova Ordem Social Mário Machado
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)