Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

PJ apanha máfia em Portugal

Máfia de Leste força mulheres a prostituírem-se.
António Lúcio e Henrique Machado 18 de Novembro de 2015 às 03:00
O CM assistiu esta terça-feira às buscas da PJ em Cabeça Gorda, Beja
O CM assistiu esta terça-feira às buscas da PJ em Cabeça Gorda, Beja FOTO: António Lúcio
Estão organizados em rede e dedicam-se, em várias zonas do Alentejo e do Oeste, à exploração laboral e sexual de largas dezenas de compatriotas – provenientes do Leste europeu. Forçam homens ao trabalho agrícola não remunerado, em condições desumanas; e as mulheres à prática de prostituição.

Trata-se de uma máfia que esta terça-feira foi desfeita numa operação da Unidade de Contraterrorismo da Judiciária. Há 18 detidos: 13 homens e cinco mulheres, entre os 20 e os 63 anos. A PJ identificou mais de 100 vítimas.

A operação, com 28 buscas, incidiu na zona de Torres Vedras e nos concelhos de Beja, Serpa e Odemira, onde ocorreram as detenções, por crimes graves como tráfico de pessoas, extorsão, lenocínio, falsificação de documentos e associação criminosa.

Os detidos deverão ser esta quarta-feira presentes ao Tribunal de Sintra, a comarca onde nasceu a investigação da PJ. Em causa, como noutras situações que têm sido detetadas sobretudo no Alentejo, está a exploração de mão de obra em campos agrícolas – com homens e mulheres a serem sujeitos, sob tortura, a longas horas de trabalho diário sem direito a remuneração ou refeições. Os imigrantes são mantidos em cativeiro.

No caso das mulheres, são colocadas em casas de alterne e forçadas a prostituírem-se, com os proveitos do negócio de exploração sexual a reverterem exclusivamente para os elementos da rede que as mantém sob coação física e psicológica.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)