Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Família pede meio milhão por troca de sangue fatal

Luís Oliveira tinha 64 anos e Recebeu oito transfusões.
Magali Pinto 19 de Setembro de 2016 às 09:45
Homem tinha sido operado na Clínica de Santo António, na Reboleira
Homem tinha sido operado na Clínica de Santo António, na Reboleira FOTO: João Santos
Oito transfusões de sangue errado foram fatais para Luís Oliveira. O homem de 64 anos, reformado dos CTT, tinha sido operado para colocar uma simples prótese na Clínica de Santo António, na Reboleira, Amadora, e acabou por morrer, em 2011.

Cinco anos depois, o caso vai começar a ser julgado esta segunda-feira na Amadora. E a família da vítima mortal pede agora mais de meio milhão de euros de indemnização.

Um dia antes da intervenção cirúrgica, uma técnica de análises dirigiu-se ao quarto onde estava Luís Oliveira para recolher uma amostra do seu sangue, mas no mesmo quarto estava outro doente com o mesmo apelido. E como o primeiro tinha adormecido, foi tirado sangue ao outro doente.

A seguir à operação começaram os problemas e as transfusões com sangue errado por estarem enganados quanto ao grupo sanguíneo da vítima.

Luís Oliveira era do tipo sanguíneo O Rh+ e foi-lhe administrado sangue do tipo A Rh+. Inicialmente estava ainda acusado do crime de negligência o médico que estava a acompanhar o doente após a intervenção cirúrgica, mas acabou absolvido.
Luís Oliveira CTT Clínica de Santo António Reboleira Amadora sangue saúde morte transfusões
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)