Fogo posto na cela atira quatro guardas para o hospital em Sintra

Recluso arranhou e mordeu um guarda e uma médica.
Por Miguel Curado e João Carlos Rodrigues|14.05.18
Quatro guardas da cadeia do Linhó, Sintra, estão de baixa devido a dois episódios de violência. O primeiro caso ocorreu pelas 17h00 de sábado, quando três detidos encostaram os colchões à porta da cela e atearam fogo.

Ao ouvirem os gritos de aflição dos reclusos, dois guardas tentaram abrir a porta, mas sofreram queimaduras nas mãos devido à elevada temperatura. Quando conseguiram abrir a porta da cela, um dos detidos escapou a correr e os outros dois foram encontrados inanimados no chão devido ao fumo, que também provocou o desmaio de um dos guardas.

A chegada de reforços travou o recluso em fuga e permitiu levar os dois detidos para a enfermaria. No entanto, quando um deles acordou, arranhou e mordeu um terceiro guarda e uma médica.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!