Gangs ajustam contas a tiro

Três jovens de origem africana conversavam na rua, já à saída do café, minutos depois de terem assistido ali, pela televisão, à vitória do Benfica sobre o Vitória de Setúbal.
30.08.10
  • partilhe
  • 0
  • +
Gangs ajustam contas a tiro
Equipas de Intervenção Rápida estiveram ontem no local Foto Bruno Agostinho

E de repente surgiu um carro a alta velocidade na rua Andrade Corvo, com cinco jovens de etnia cigana lá dentro, que dispararam cinco tiros de pistola na direcção dos primeiros – reacendendo a guerra de etnias no problemático bairro da Quinta da Fonte, na Apelação, Loures. Os três jovens africanos ficaram feridos na noite de anteontem, a mesma em que um outro conflito de gangs estalou na Grande Lisboa: duas vítimas no parque de campismo do Inatel, na Costa de Caparica (ver peça secundária).

Na Quinta da Fonte, os três baleados na zona dos membros inferiores sofreram ferimentos ligeiros. Mas a retaliação não se fez esperar e, minutos depois, não muito longe do local, uma carrinha foi incendiada. Fazendo relembrar o tiroteio de há dois anos nas ruas do bairro, entre moradores de etnia cigana e africanos, captado em vídeos difundidos pelas televisões, a Quinta da Fonte voltou a adormecer e a acordar com medo. Por enquanto não foram efectuadas quaisquer detenções.

Ontem de manhã, e após uma noite de tensão, as Equipas de Intervenção Rápida da PSP ainda estavam no local, como forma de prevenir novos possíveis confrontos entre rivais, que ali vivem paredes meias.

Nas ruas do bairro ninguém consegue explicar bem o que aconteceu pelas 23h35 de sábado. Apenas que três jovens ficaram feridos sem gravidade, ainda que um tenha recebido assistência no Hospital de Santa Maria, Lisboa. Teve alta poucas horas depois. Os agressores, sempre com o carro em movimento, fugiram para parte incerta mas, ao que o CM apurou, alguns já estarão identificados pela PSP. O grupo de cinco suspeitos disparou indiscriminadamente cinco tiros de pistola, calibre 6,35 mm, contra um grupo que estava por acaso na rua – jovens entre os 15 e 18 anos. Foram socorridos no local do crime pelos bombeiros de Sacavém e um foi transportado ao hospital. O mais velho foi atingido numa perna e teve alta pouco depois. A investigação está agora entregue à PJ.

TORNEIO DE FUTEBOL DO INATEL ACABA EM AGRESSÕES E TIROS

Uma falta mais dura num torneio de futebol no parque de campismo do Inatel, na Costa de Caparica, anteontem à noite, não terminou com cartão amarelo, mas sim em tiros e pancadaria entre várias pessoas, algumas estranhas ao espaço. Durante os desacatos, foram disparados três tiros, de uma pistola de alarme adaptada, entretanto apreendida já sem carregador nem munições, no interior de um carro. O proprietário, ilegal em Portugal, acabou detido pela GNR. Duas pessoas ficaram feridas e foram hospitalizadas.

Após mais um dia de praia, muitos eram os utilizadores do parque que, pelas 20h30, assistiam a um jogo no ringue. Frente a frente, vários jovens, alguns deles que não estavam instalados no Inatel, e que tinham sido convidados por outros. Eram, na sua maioria, do bairro da Boavista, em Lisboa.

Existem relatos que as desavenças terão começado na noite de sexta-feira, após uma troca de palavras durante uma festa no Inatel. Anteontem, os dois grupos rivais ajustaram as contas.

Uma entrada mais dura reacendeu o rastilho, provocando o caos entre os jogadores e as pessoas que assistiam, entre as quais crianças. Os agressores começaram por alguns insultos e empurrões, mas em segundos o ringue de futebol tornou-se num ringue de boxe. Um dos responsáveis pelo torneio, que fazia de árbitro, foi atingido com gás-pimenta na cara e, já no chão, pontapeado e socado. Um espectador, familiar de um jogador, deu três tiros para o ar e, apesar de não ter sido encontrada nenhuma arma branca, há relatos de facas e catanas no local.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!