Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Homem condenado por agredir mãe cega continua a viver com a vítima

Tribunal da Relação de Guimarães proíbe contactos, mas não promove afastamento.
Fátima Vilaça 17 de Abril de 2019 às 01:30
Tribunal da Relação de Guimarães
Tribunal da Relação de Guimarães
Tribunal da Relação de Guimarães
Tribunal da Relação de Guimarães
Tribunal da Relação de Guimarães
Tribunal da Relação de Guimarães
Tribunal da Relação de Guimarães
Tribunal da Relação de Guimarães
Tribunal da Relação de Guimarães
"Nunca mais morres, sua p..., cega. Qualquer dia, pego fogo à casa e mato-te." Foi assim que, durante mais de um ano, um homem de 30 anos, da Póvoa de Lanhoso, insultou e ameaçou de morte a mãe, uma invisual de 62 anos, a quem exigia dinheiro.

A mulher, viúva, foi também, por diversas vezes, agredida com vários murros no corpo e até com uma porta na cara.

O filho, desempregado, já foi condenado, no ano passado, a três anos e meio de prisão, com pena suspensa, por violência doméstica.

Agora, o Tribunal da Relação de Guimarães condenou-o a quatro anos de prisão, igualmente suspensa, também por dois crimes de extorsão.

O tribunal deu como provado que, "pelo menos duas vezes por semana", o homem injuriou e ameaçou a mãe de morte, chegando mesmo a expulsá-la da habitação.

Ainda assim, o agressor, que vai ter de pagar uma indemnização de cinco mil euros à mãe e está proibido de a contactar, continua a viver na mesma casa que a vítima, na freguesia de Serzedelo.

As agressões começaram em 2017. Após ter vivido no estrangeiro, o indivíduo regressou a casa da mãe.

O agressor, que foi institucionalizado aos sete anos, mantém, segundo o relatório social, "uma relação conturbada" com a mãe e demonstra "sentimentos de revolta e de abandono na infância".

O desempregado acabou por ser detido, no início do ano passado, continuando a viver com a mãe. Já depois destes factos, voltou a ameaçar a mulher.

O juiz manteve-o na habitação.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)