Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Homem que aliciou menores na Internet condenado a oito anos de prisão em Aveiro

Arguido chegou a ter contactos sexuais com uma das vítimas e a fazer um vídeo de cariz pornográfico.
Lusa 4 de Novembro de 2019 às 15:30
Tribunal de Aveiro
Tribunal de Aveiro FOTO: CMTV
O Tribunal de Aveiro condenou esta segunda-feira um homem de 29 anos a oito anos de prisão por ter seduzido sete menores, com idades entre os 11 e 15 anos, na Internet.

O tribunal deu como provado que o arguido criou perfis falsos na rede social Facebook de maneira a convencer menores a enviar-lhe fotografias íntimas e a exibirem o corpo nu à frente da 'webcam', prometendo pagar avultadas quantias em dinheiro.

O arguido, um programador informático de Sever do Vouga, chegou a ter contactos sexuais com uma das vítimas e a fazer um vídeo de cariz pornográfico.

A juíza presidente disse que, durante o julgamento, que decorreu à porta fechada, o arguido confessou "grande parte dos factos", tendo mostrado arrependimento e procurado ajuda psicológica.

A defesa do arguido queria que este fosse condenado por um único crime de trato sucessivo, mas o tribunal entendeu que isso não se verifica, nomeadamente por haver sete vítimas distintas.

O homem foi condenado a um cúmulo jurídico de oito anos de prisão por 14 crimes de pornografia de menores, dois crimes de violação, um deles na forma tentada, e dois de coação, um dos quais na forma tentada.

Além da pena de prisão, vai ter de pagar mil euros a uma das vítimas, uma vez que já tinha indemnizado as restantes ofendidas.

"Estes factos assumem bastante gravidade e por isso esta pena foi aplicada", disse a juíza.

O arguido foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) em outubro de 2015.

Na altura da detenção, a PJ referiu que o homem "selecionava e abordava as vítimas nas redes sociais, de forma predatória" e, depois de estabelecer uma relação de confiança, "aliciava-as a desnudarem-se perante uma 'webcam', a troco de contrapartidas monetárias elevadas, cujo pagamento protelava".

Numa fase posterior, segundo a PJ, o suspeito "coagia as menores, sob a ameaça de divulgação na Internet das fotografias íntimas obtidas através daquele 'modus operandi', obrigando-as a despirem-se e a exibirem a zona genital".

A investigação surgiu na sequência de denúncia do aliciamento de uma menor, de 14 anos, através da rede social Facebook.

Na sequência de uma busca à casa do suspeito, numa freguesia do concelho de Sever do Vouga, foram aprendidos dois computadores usados na atividade delituosa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)