Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Inglesa violada no Algarve critica justiça portuguesa

Violador confessou crime e foi condenado a quatro anos e seis meses de pena suspensa.
João Mira Godinho 26 de Fevereiro de 2019 às 08:58
Kate Juby decidiu identificar-se e contar a história à imprensa inglesa
Mulher
Mulher
Violador foi condenado, em outubro, num julgamento no Tribunal de Lagos
Kate Juby decidiu identificar-se e contar a história à imprensa inglesa
Mulher
Mulher
Violador foi condenado, em outubro, num julgamento no Tribunal de Lagos
Kate Juby decidiu identificar-se e contar a história à imprensa inglesa
Mulher
Mulher
Violador foi condenado, em outubro, num julgamento no Tribunal de Lagos
Em 2017, Kate Juby, 24 anos, foi violada, em Aljezur, pelo condutor de um reboque que lhe deu boleia. Agora, a inglesa deu uma entrevista à imprensa britânica, em que diz que optou por se identificar e falar para que "nenhuma outra mulher passe pela mesma experiência às mãos da justiça portuguesa".

O violador, Tiago Sousa, de 33 anos, foi condenado, em outubro de 2018, no Tribunal de Lagos, a uma pena suspensa de quatro anos e seis meses, depois de confessar o crime. Kate diz que ver o homem sair do tribunal, em liberdade, "de braço com a mulher", foi o insulto final.

A violação ocorreu a 14 de abril de 2017. Kate ia para o Aeroporto de Faro, onde tinha voo de regresso ao Reino Unido, depois de ter ido a um festival de música em Aljezur. Tiago deu-lhe boleia mas fez um desvio e, num local isolado, violou-a, forçando-a a ter sexo anal e vaginal, em cima da plataforma do reboque.

Após fugir e pedir ajuda, Kate conta que, no hospital, os médicos lhe ordenaram que parasse de chorar, e deram-lhe medicamentos sem dizerem o que era. Na Judiciária, onde prestou declarações durante sete horas, relata que apenas lhe ofereceram um copo com água.

A jovem promete recorrer da sentença aplicada.

PORMENORES
Sequelas psicológicas
Após voltar a casa, em Suffolk, Kate conta que passou uma semana na cama e sofreu pesadelos. Deixou a universidade e passou a sair de casa só acompanhada por três pessoas.

Doou indemnização
O violador foi ainda condenado a pagar cerca de 2 mil euros de indemnização à jovem, que esta doou à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima.

MP pediu pena suspensa
Foi o próprio Ministério Público que pediu pena suspensa, depois do homem confessar o crime e mostra-se arrependido.
Ver comentários