Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Justiça adia julgamento do caso de morte de adepto do Sporting na Luz

Caso perde prioridade para processos com arguidos presos e para o caso dos Comandos.
Magali Pinto 17 de Junho de 2018 às 01:30
Luís Miguel Pina é pedreiro
Luís Miguel Pina, conhecido como 'Lué', é o suspeito de ter atropelado um adepto na Luz
Imagens mostram que Marco Ficini foi atingido pelo Renault branco e arrastado 30 metros
Vítima foi abandonada pelos agressores e pelos amigos. Foi encontrada inanimada no asfalto
Marco Ficini perdeu a vida junto ao Estádio da Luz
Luís Miguel Pina é pedreiro
Luís Miguel Pina, conhecido como 'Lué', é o suspeito de ter atropelado um adepto na Luz
Imagens mostram que Marco Ficini foi atingido pelo Renault branco e arrastado 30 metros
Vítima foi abandonada pelos agressores e pelos amigos. Foi encontrada inanimada no asfalto
Marco Ficini perdeu a vida junto ao Estádio da Luz
Luís Miguel Pina é pedreiro
Luís Miguel Pina, conhecido como 'Lué', é o suspeito de ter atropelado um adepto na Luz
Imagens mostram que Marco Ficini foi atingido pelo Renault branco e arrastado 30 metros
Vítima foi abandonada pelos agressores e pelos amigos. Foi encontrada inanimada no asfalto
Marco Ficini perdeu a vida junto ao Estádio da Luz
Luís Pina está acusado de um crime de homicídio qualificado e outros quatro tentados à porta do Estádio da Luz, em abril do ano passado. No mesmo processo, há mais 22 arguidos, da claque Juventude Leonina e No Name Boys, que vão sentar-se no banco dos réus por participação em rixa e omissão de auxílio. O julgamento estava marcado para setembro deste ano, logo após as férias judiciais, mas foi adiado.

Só no final de 2019 é que o homicida do adepto Marco Ficcini vai responder pelos crimes praticados na véspera de um jogo entre o Sporting e o Benfica.

Processos com arguidos presos e o julgamento dos 19 militares dos Comandos acusados da morte de dois recrutas são os motivos do adiamento.

"Tendo em consideração o número de processos entrados com arguidos presos, impondo-se observar os prazos de prisão preventiva, assim como processos militares (entre os quais o denominado processo Comandos) verifica-se a necessidade imperiosa de serem efetuados reagendamentos", justifica a juíza que vai presidir ao julgamento. Luís Pina, recorde-se, está em liberdade.

No processo dos Comandos, os militares, alguns dos quais oficiais, no qual se inclui um médico, estão acusados de um total de 489 crimes, entre os quais ofensas à integridade física em diferentes graus e abuso de autoridade.
Dylan da Silva e Hugo Abreu, ambos com 20 anos, foram vítimas de desidratação extrema que lhes provocou a morte, em setembro de 2016, durante um exercício militar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)