Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

METRO MAIS CURTO

O metro ligeiro de superfície entre Algés e Falagueira vai ter oito quilómetros de extensão e não os 14 que inicialmente estavam estabelecidos no projecto da Carris e Metropolitano de Lisboa. Segundo o anteprojecto entregue à secretaria de Estado dos Transportes, as antenas que serviriam as localidades de Linda-a-Velha, Carnaxide, Amadora e Queluz foram adiadas para uma fase posterior do metro ligeiro.
2 de Fevereiro de 2004 às 00:00
A data de entrada em funcionamento desta infra-estrutura ferroviária foi igualmente revista devendo agora segundo as previsões do Governo entrar em circulação em 2006, um ano mais tarde do que o inicialmente previsto.
VINTE MINUTOS DE VIAGEM
A linha Algés/Falagueira contempla agora 15 paragens: Algés (interface com a estação da CP), Algés-Centro, Algés -Norte, Algés-Miraflores, Miraflores, Outurela, Quinta do Paizinho, Bairro do Zambujal, Alfragide, Alfragide /IC19, Damaia, Damaia (interface com a estação da CP), Venda Nova, Venda Nova-Norte, Falagueira (interface com a Linha Azul do Metro). A distância média entre cada paragem é de 530 metros e o tempo de viagem será de cerca de vinte minutos.
O investimento global no metro ligeiro de superfície que irá ligar os concelhos de Oeiras e Amadora estava inicialmente orçado em 232 milhões de euros (preços de 2001, sem IVA). Os custos implicam um investimento na frota de 41,4 milhões de euros. O orçamentado para a instalação da rede, que deverá incluir quatro frentes de obra, é de 135 milhões de euros.
O metro Algés/Falagueira irá contar com corredores próprios o que irá obrigar a uma reconversão urbana para a qual estão destinados os restantes 25 por cento do total do investimento, o que representa 55,6 milhões de euros.
OBRAS DURAM 16 MESES
Sem uma data definida para o início dos trabalhos, “a duração da execução deste projecto demorará 16 meses, caso a adjudicação do material circulante se concretize 11 meses antes da adjudicação/contrato” para a instalação das quatro frentes de obra, disse fonte da Carris.
Concluídos os estudos relativos à ligação Algés/Falagueira, nos próximos meses será elaborada a análise de investimento do projecto. Nomeadamente a definição da estrutura societária do caderno de encargos do metro ligeiro de superfície, a criação de uma parceria pública/privada e definição dos requisitos para a construção e operação deste transporte. Paralelamente, o projecto de engenharia que permitirá concretizar a obra deverá estar concluído este ano.
Com o objectivo de ser criada uma circular periférica de metro ligeiro de superfície em torno de Lisboa, concluída esta etapa do projecto, a segunda fase compreende a ligação entre Falagueira, Odivelas e Loures. Posteriormente, o metro ligeiro deverá partir desta cidade em direcção a Sacavém.
MEIO DE LIGAÇÃO
CP E METRO
O metro ligeiro de superfície Algés/Falagueira é um meio de transporte mais rápido e com um orçamento menos elevado na sua construção do que o metro subterrâneo actualmente explorado na capital. A nova infra-estrutura visa reforçar a mobilidade na área ocidental da Grande Lisboa pelo que contempla ligações com as linhas ferroviárias de Cascais e de Sintra. A ligação ao Metropolitano será igualmente possível, na Falagueira, localidade que ainda este ano verá chegar a Linha Azul.
SEIS MINUTOS
O intervalo de espera entre cada composição será de seis minutos nas horas de ponta e de cerca de dez minutos nas restantes horas dos dias úteis e aos fins-de-semana. As estimativas apontam para um fluxo mínimo na ordem dos 2500 passageiros por hora em cada sentido. Retirar automóveis nos acessos a Lisboa é um dos objectivos da instalação deste tipo de transporte colectivo não poluente.
SATU QUER LIGAR PAÇOS DE ARCOS AO CACÉM E METRO SUL TEJO AVANÇA ATÉ CORROIOS
SATU ESTE MÊS
O SATU (Sistema Automático de Transportes Urbanos de Oeiras) “entra em funcionamento este mês, o mais tardar em Março”, disse fonte da autarquia. O preço do bilhete (Paço de Arcos/Oeiras Parque) é de um euro. A Câmara de Oeiras pretende que o SATU ligue os concelhos de Oeiras e de Sintra, através de uma conexão com as estações de Queluz ou Cacém. Em 2006, o SATU deverá de avançar até ao Lagoas Parque. Em 2008, será a vez do Tagus Parque.
MST PARA O ANO
Os primeiros 200 metros de carris do Metro Sul do Tejo estão já instalados entre a Praça do Talaminho e Corroios. Com a forma de uma estrela de três pontas (Universidade, Cacilhas e Corroios), a primeira fase do MST deverá ficar concluída em Dezembro do próximo ano. O preço do bilhete será, no mínimo, de 70 cêntimos e o passe de 30 dias custará 15 euros. As estações de Corroios e Pragal terão ligação directa ao comboio (Fertagus) e Cacilhas aos barcos (Transtejo).
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)