Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

"Perdemos completamente o controlo"

Gémeos iraquianos dizem-se prontos para assumir responsabilidades.
23 de Agosto de 2016 às 20:55
Os gémeos iraquianos Haider e Ridha, de 17 anos
Os gémeos iraquianos Haider e Ridha, de 17 anos FOTO: SIC
Os filhos do embaixador iraquiano, Haider e Ridha, de 17 anos, suspeitos de terem agredido Rúben Cavaco, de 15, em Ponte de Sor, na passada quarta-feira admitem ter perdido completamente o controlo, ao mesmo tempo que gostariam de "pedir desculpa".

Em declarações à SIC, os jovens dizem que nada justifica o nível de violência da noite de quarta-feira. Quando confrontados com a possibilidade do governo iraquiano lhes retirar a imunidade diplomática, um dos gémeos admite estar "preparado para assumir toda a responsabilidade pelos atos".

Na mesma entrevista, os gémeos fazem o relato do que se passou naquela noite: "A noite começou no ‘Koppus’, um bar e restaurante local. Sentei-me numa mesa com os meus colegas da G Air e estávamos a divertir-nos, a rir e assim. Eu tinha uma camisa de manga curta. Infelizmente, foi rasgada no incidente, duas das minhas tattoos estavam visáveis e um dos meus colegas fez um comentário sobre as mesmas e, a brincar, despi a perna direita das minhas calças para lhe mostrar a tatuagem que tenho na coxa", começa por afirmar um dos filhos do embaixador iraquiano.

As pessoas da mesa atrás terão ficado "muito ofendidas" pelo facto do jovem ter despido uma parte das calças e "começaram a agir de forma muito agressiva". Para "evitar prolemas" decidiram abandonar o bar. 

À saída, "dirigi-me para o carro, entrei e, infelizmente, o meu irmão não teve tempo para entrar no carro e o grupo de rapazes, incluindo o Rúben, cercaram o meu irmão", continua. "Eu estava a tentar acalmá-lo para ele não avançar e possivelmente agredir o meu irmão, mas quando levantei as mãos, dei por mim a ser atacado por cinco ou seis pessoas e estavam a passar-me por entre eles como se fosse uma bola", justificam na versão que contam do que se passou.
 

"Estava a tentar dar lutas mas eles eram demasiados", continuam. 

Posteriormente, os filhos do embaixador voltaram ao local e Rúben terá dito algo em português na sua direção: "Saí do carro, para ir ter com ele e ver o que queria. Perguntei-lhe: 'Qual é o teu problema? Porque estás a fazer isto?' e ele disse outra coisa em português que eu não entendi".

"Depois disso, senti-me extremamente insultado, também por causa das agressões anteriores e, por isso, corri atrás dele e comecei a agredi-lo. Dei-lhe murros e, quando dei por isso, o meu irmão também tinha vindo e estava a ajudar-me", assume um dos gémeos.

"O meu irmão disse-me para parar porque ele estava no chão e não havia nada a fazer", remata.

Rúben Cavaco saiu dos Cuidados Intensivos do Hospital de Santa Maria esta terça-feira de manhã. O jovem sofreu um traumatismo craniano e ficou parcialmente desfigurado, com múltiplas fraturas na cara.

O embaixador do Iraque em Lisboa, pai do dois gémeos suspeitos da agressão em Ponte de Sor, foi chamado de urgência a Bagdade.
Haider Ridha Ponte de Sor Rúben Cavaco Hospital de Santa Maria Iraque Lisboa agressões
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)