Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Polícia ciumento recolheu à cadeia

O agente da PSP da Marinha Grande que matou a ex-namorada a tiro por ciúmes recolheu ontem à cadeia onde vai aguardar julgamento em prisão preventiva. Luís Bernardino, de 33 anos, esteve a ser interrogado quase todo o dia por um juiz de instrução criminal do Tribunal de Leiria.
5 de Novembro de 2006 às 00:00
Ao final da tarde, abandonou o edifício acompanhado dos inspectores da Polícia Judiciária, que o conduziram ao Estabelecimento Prisional de Santarém, uma prisão reservada a agentes da autoridade.
O detido assassinou a ex-namorada, Sílvia Catarina Morganiço, de 31 anos, quando esta chegava ao apartamento do actual namorado, na Guimarota, em Leiria, na madrugada de sexta-feira.
Segundo fontes da PSP, Luís Bernardino usou a arma de serviço, uma pistola 7.65 mm, para se vingar de uma separação que nunca aceitou bem.
Sílvia Morganiço, cabeleireira e mãe de um menino de quatro anos, tinha acabado a relação há seis meses. Nas últimas semanas, o agente tinha dado sinais de inquietação, ameaçando-a de morte. “Mas ninguém esperava que acontecesse o que aconteceu”, disse um familiar da vítima.
Na sexta-feira, depois de sair do turno da noite, o polícia dirigiu-se ao bairro da Guimarota e fez uma espera à ex-namorada. Quando ela chegou, disparou seis tiros, atingindo-a mortalmente no coração e na cabeça. O rapaz que a acompanhava conseguiu fugir.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)