Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Praia distinguida interdita a banhos em Matosinhos

Lamas da ETAR escoadas para areal do Cabo do Mundo.
Ana Silva Monteiro 5 de Agosto de 2018 às 10:08
Cabo do Mundo
Bandeira azul
Bandeira Azul é sinónimo de 'credibilidade e confiança que é inquestionável'
Cabo do Mundo
Bandeira azul
Bandeira Azul é sinónimo de 'credibilidade e confiança que é inquestionável'
Cabo do Mundo
Bandeira azul
Bandeira Azul é sinónimo de 'credibilidade e confiança que é inquestionável'
Uma mancha negra no trilho de areia que encaminha águas pluviais para o mar, no areal não concessionado entre as praias do Aterro e do Cabo do Mundo levou, este sábado, a que esta última zona balnear ficasse interdita a banhos. Foram colocados alertas em placas ao longo do areal, mas o calor levou alguns veraneantes a tentarem desrespeitar a Bandeira Vermelha erguida na praia que fora distinguida com uma Bandeira Azul - que foi arriada.

Na origem da descarga, indicou ao CM a Câmara de Matosinhos, esteve o facto de um camião que levantou lamas na Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), junto àquelas praias, ter derramado aquele material na rua, à saída das instalações. As lamas foram escoadas pelas condutas de águas pluviais, que drenam diretamente para o areal. "Esta é uma situação inadmissível que afeta os banhistas e pescadores. Há mais de uma semana que se nota manchas nos mar e que a pesca é cada vez menor. As responsabilidades têm que ser apuradas", disse ao CM um pescador.

Ao longo do dia de ontem, vários funcionários municipais retiraram parte das lamas e da areia contaminada. A Agência Portuguesa do Ambiente aconselhou as autoridades municipais e marítimas a interditarem a praia do Cabo do Mundo a banhos até segunda-feira, dia em que será possível realizar análises à água do mar. Só então será possível perceber se a qualidade que levou à atribuição da Bandeira Azul se mantém ou se a distinção terá que ser definitivamente retirada.
Ver comentários
}