Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Professor de música condenado

Um professor de Música de 50 anos, que se apoderou de cartões de eleitores numa junta de freguesia do Marco de Canaveses e com os quais conseguiu emitir falsos documentos para contrair créditos de 15 mil euros junto de vários bancos, foi ontem condenado a oito anos de cadeia pelo Tribunal de Valongo.

4 de Outubro de 2008 às 00:30
O caso foi julgado nas instalações provisórias do Tribunal de Valongo
O caso foi julgado nas instalações provisórias do Tribunal de Valongo FOTO: Marta Vitorino

Ao todo, foram 78 os crimes de burla, falsificação de documentos e usurpação de identidade que foram considerados provados pelo tribunal, que também condenou a cúmplice, de 35 anos, a quatro anos e nove meses de cadeia, ficando a pena suspensa.

O caso remonta ao final do ano de 2005, quando António Coutinho dava aulas de Música nas instalações da Junta de Freguesia de Várzea do Douro, em Marco de Canaveses, de onde retirou três fichas de mulheres residentes na localidade. Com a cúmplice, Sónia Nunes, o professor conseguiu obter, nos serviços dos registos de Penafiel, certidões de nascimento e depois falsos bilhetes de identidade. Os nomes eram os das vítimas e a foto de Sónia Nunes. A desculpa era sempre a perda dos documentos e a emissão de segundas vias.

Na posse dos B.I., conseguiram a emissão de cartões de contribuintes e a contracção de vários empréstimos, em bancos e cadeias de lojas como a Worten ou a Cortefiel. O esquema foi travado em Novembro de 2006 pela Divisão de Investigação Criminal da PSP do Porto.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)