Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Proteção Civil diz que situação em Góis é preocupante

Fogo continua a lavrar com grande intensidade.
Lusa 20 de Junho de 2017 às 14:08
Incêndio de Pedrógão
Bombeiros combatem as chamas em Pedrógão Grande
Incêndio de Pedrógão
Bombeiros combatem as chamas em Pedrógão Grande
Incêndio de Pedrógão
Bombeiros combatem as chamas em Pedrógão Grande
O comandante operacional da Proteção Civil, Vitor Vaz Pinto, disse esta terça-feira que o incêndio de Góis "é preocupante", uma vez que está a lavrar com grande intensidade, informação corroborada pela ministra da Administração Interna.

"Góis uma situação preocupante, o incêndio está a lavrar com grande intensidade e a ser objeto de análise muito particular", afirmou Vitor Vaz Pinto no segundo balanço do dia feito no posto de comando instalado em Avelar, no concelho de Ansião, em Leiria.

Já em relação ao incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande no sábado adiantou que neste momento, "85% ou mais do perímetro está em rescaldo e consolidação", sendo que, acrescentou, estão a ocorrer diversas reativações, sobretudo, devido às condições meteorológicas adversas.

Segundo este responsável, a situação do incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande no sábado, está "perfeitamente monitorizada", apesar de admitir que não foi possível extinguir um dos pontos quentes que iria permitir dar o fogo como dominado.

Adiantou, ainda, que o teatro de operações de Pedrógão Grande foi reforçado com meios aéreos, dado a impossibilidade de neste momento, estes poderem operar em Góis devido à falta de condições de visibilidade.

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano Sousa sublinhou que não se sabe como vai evoluir a situação em Góis, "que está a dar bastantes preocupações".

Deixou ainda um apelo para que as pessoas sigam as orientações das autoridades: "Deixo aqui um apelo veemente a todas as pessoas que sigam as indicações das autoridades sem hesitação".

A governante sublinhou ainda que há contactos com Marrocos para disponibilizar os meios aéreos possíveis.

Às 14h30 estavam no teatro de operações de Pedrógão Grande, 1.202 operacionais, apoiados por 404 viaturas, aos quais foram reafetados nove aviões Canadair, visto a sua impossibilidade de operar em Góis.

Ao todo, estão a operar em Pedrógão Grande 17 aviões e quatro helicópteros.

A ministra referiu-se ainda às vítimas mortais do incêndio de Pedrógão Grande e confirmou que já estão identificadas 32 pessoas, das quais 12 em condições de serem entregues às famílias.

"As restantes não é possível identificar sem recurso a técnicas forenses mais complicadas como comparação de ADN (...). Precisam de métodos de identificação mais completos, pelo grau carbonização ou outras circunstancias", frisou.
Góis Proteção Civil Vitor Vaz Pinto Avelar Ansião acidentes e desastres incêndios tragédia mortos feridos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)