Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Partidos questionam Governo após agressão racista a jovem colombiana

Carlos César vincou que o seu partido "não está disponível para contemporizar com estas situações".
Lusa 28 de Junho de 2018 às 14:18
Jovem colombiana agredida por segurança no Porto
STCP
Colombiana de 21 anos agredida e alvo de insultos racistas no Porto
Jovem colombiana agredida por segurança no Porto
STCP
Colombiana de 21 anos agredida e alvo de insultos racistas no Porto
Jovem colombiana agredida por segurança no Porto
STCP
Colombiana de 21 anos agredida e alvo de insultos racistas no Porto

O PS exigiu esta quinta-feira que o Governo atue junto das forças policiais para que haja consequências da agressão "racista" de que foi vítima uma jovem colombiana e que conclua "rapidamente" o diploma sobre segurança privada.

Esta posição foi transmitida aos jornalistas pelo líder parlamentar socialista, Carlos César, depois de Nicol Quinayas, de 21 anos, nascida na Colômbia, ter sido violentamente agredida e insultada, na madrugada de domingo, no Porto, por um segurança da empresa 2045 a exercer funções de fiscalização para a STCP (Serviço de Transportes Coletivos do Porto).

Falando no final da reunião da bancada do PS, Carlos César vincou que o seu partido "não está disponível para contemporizar com estas situações e para avaliá-las como simples episódios triviais, ou como desavenças na via pública".

BE questiona Governo
O Bloco de Esquerda questionou esta quinta-feira o Ministério da Administração Interna sobre medidas que pretende tomar face à agressão a uma luso-colombiana, na madrugada de domingo, no Porto, quanto à investigação do caso e à empresa do segurança envolvido.

"Que medidas pretende o Ministério da Administração Interna tomar ou exigir quanto à empresa 2045 que garante a segurança da STCP? Pondera o ministério, por exemplo, retirar a licença a esta empresa?", questiona o BE, que quer também garantias de que os agentes do PSP presentes no local da agressão "tudo fizeram para garantir que este crime é investigado sem que nenhuma prova se tenha perdido entretanto".

O grupo parlamentar bloquista, endereçou as perguntas ao ministério na sequência da agressão imputada ao segurança da empresa 2045, na noite de São João, no Porto, à jovem luso-colombiana, situação que descreveu como "um ato de violência gratuita, desproporcional, ilegítima e chocante".

Sobre a atuação do segurança de serviço no local como fiscal da STCP (Sociedade de Transportes Coletivos do Porto), o documento do BE cita relatos que dão conta de que "as agressões foram motivadas única e exclusivamente pelo racismo e xenofobia daquele funcionário".

O funcionário, ainda segundo relatos citados pelo BE, "insultou a jovem mais do que uma vez, referindo-se à mesma como 'preta de merda' ou tecendo comentários como 'gente como vocês, pretos, só arranjam problemas'".


Colômbia PS Serviço de Transportes Coletivos do Porto Governo Carlos César Nicol Quinayas Porto STCP
Ver comentários