Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Queixa-crime contra docente que aterroriza

Aluna do ensino especial desenvolve novos problemas psicológicos.
Sara G. Carrilho 19 de Dezembro de 2015 às 12:05
Pais fizeram queixa na Escola Básica 2, 3 da Cruz de Pau
Pais fizeram queixa na Escola Básica 2, 3 da Cruz de Pau FOTO: DR
O mais recente relatório do psicólogo que acompanha uma aluna do ensino especial integrada numa turma do 6º ano de uma escola do Seixal, em que a professora de Inglês é acusada de "aterrorizar os alunos", revela que a menina de 12 anos desenvolveu novos problemas devido à situação na sala de aulas.

É esta uma das provas que os dez pais que fizeram queixa na Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau e ao Ministério da Educação vão usar para suportar a queixa-crime contra a docente, que já seguiu para o Ministério Público.


A menor é acompanhada por um psicólogo desde 2012, altura em que os pais descobriram que a filha tem um défice cognitivo ou seja uma limitação do funcionamento intelectual e do comportamento adaptativo, situação estabilizada e controlada, até ao início deste ano letivo.

Agora, segundo o relatório do perito, ao qual o CM teve acesso, "houve um retrocesso com o emergir de ansiedade aguda, o que se traduz em crises de ansiedade com hiperventilação, aumento do batimento cardíaco, dores, tensão, inquietação, com pensamentos fóbicos relacionados com a escola (com a disciplina de Inglês), choro, alterações de sono e alimentação. Sente-se inferiorizada e discriminada pela professora e por colegas mais velhas."


Recorde-se que a aluna em causa foi para o hospital com ataques de pânico por três vezes. Devido às queixas apresentadas pelos pais, a professora, que está de baixa e afirma que é tudo mentira, está a ser alvo de um processo disciplinar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)