Relatório arrasa socorro no túnel

Combate a fogo em autocarro só 36 minutos depois do alerta.
Por Manuel Jorge Bento|11.02.18
A Infraestruturas de Portugal (IP) indicou que o plano de emergência do Túnel do Marão - entre Amarante e Vila Real - "garantiu a eficácia no socorro", no incêndio num autocarro, a 11 de junho do ano passado, mas o relatório do inquérito da Proteção Civil é arrasador. Refere um "significativo hiato temporal" de 36 minutos entre o alerta e o início do combate ao fogo. E indica que é "indispensável rever os procedimentos" para "garantir a mais célere resposta dos meios".

O documento refere que o início da ocorrência foi às 20h30, os meios chegaram às 20h57 e o combate iniciou-se às 21h06 (36 minutos após o alerta). As chamas no autocarro foram extintas em "dois minutos e 36 segundos". No entanto, a IP, no dia a seguir ao incêndio, referia outras horas: alerta de fumo às 20h29, entrada do primeiro veículo de bombeiros às 20h55 (26 minutos depois) e extinção total às 22h00, sem referência ao início do combate ao fogo.

O relatório considera que o posto de controlo, junto à saída de Amarante, deveria ser reaberto para fazer a articulação operacional, assistência, intervenção e apoio. A IP indicou este sábado que "irá analisar" as recomendações e "implementar as medidas determinadas".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!