Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Simula assalto para culpar sogro

Feirante inventou roubo armado para se vingar de fim do namoro.
Liliana Rodrigues 19 de Dezembro de 2015 às 11:04
A simulação de crime, agora desmontada pela PJ, ocorreu na urbanização de Vila d'Este, em Gaia
A simulação de crime, agora desmontada pela PJ, ocorreu na urbanização de Vila d'Este, em Gaia FOTO: Eduardo Martins
Inconformado com a decisão da companheira, que pôs termo à conturbada relação amorosa que viviam, um feirante de 23 anos decidiu vingar-se: simulou um assalto violento, com armas de fogo, em que lhe tinham roubado a carteira, o telemóvel e até as chaves do carro. E à polícia acusou o sogro e o cunhado de serem os autores do suposto crime.

O caso remonta a 11 de fevereiro do ano passado, em Vila Nova de Gaia, mas agora a Polícia Judiciária do Porto desmontou a versão apresentada pela alegada vítima, que passou a ser arguido num processo por simulação de crime.

O jovem – que reside em Vila D’este – convenceu-se de que os problemas crescentes na relação que mantinha com a companheira eram motivados pelos pais da jovem com quem namorava, que não aceitavam o namoro. Ferido no orgulho por ter sido abandonado, o feirante orquestrou um plano para se vingar da família da jovem.

Relatou ter sido atacado por dois homens armados que o roubaram, quando estava perto de casa. Apesar de encapuzados, garantiu ter reconhecido os supostos agressores, por serem o pai e o irmão da ex-companheira.

A investigação durou um ano e dez meses, mas permitiu aos inspetores apurar que tudo não passou de uma invenção do jovem queixoso.
simulação assalto Vila Nova de Gaia Polícia Judiciária do Porto crime
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)