Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

PSD defende expulsão de diplomatas russos

Fernando Negrão,acusa Governo de ter posição tímida e pede "audição urgente" do ministro dos Negócios Estrangeiros.
Lusa 28 de Março de 2018 às 11:45
Fernando Negrão assume liderança de uma bancada parlamentar em convulsão por causa do presidente do PSD, Rui Rio
Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros
Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros
Fernando Negrão assume liderança de uma bancada parlamentar em convulsão por causa do presidente do PSD, Rui Rio
Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros
Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros
Fernando Negrão assume liderança de uma bancada parlamentar em convulsão por causa do presidente do PSD, Rui Rio
Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros
Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros
O PSD acusou esta quarta-feira o Governo de ter uma posição "tímida e condicionada" pelo PCP e BE no caso Skripal e defendeu a expulsão imediata de diplomatas russos, tal como fizeram a maioria dos países da União Europeia.

Em declarações aos jornalistas no parlamento, o líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, anunciou ainda que o partido vai pedir uma "audição urgente" do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, para dar esclarecimentos sobre esta matéria na Assembleia da República.

Sobre a posição do Governo português, Fernando Negrão classificou-a de "tímida", porque se limitou a condenar o envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal no Reino Unido - cuja responsabilidade Londres atribui a Moscovo - e também "condicionada".

"A única explicação que encontro, num PS que foi sempre atlantista, é de se sentir condicionado pela aliança com PCP e BE", afirmou.

Questionado se o PSD defende a expulsão imediata dos diplomatas russos, Fernando Negrão respondeu afirmativamente.

"A posição do PSD é que devemos alinhar com a maioria daqueles com quem temos estado sempre e devemos recomendar ao Governo que expulse os diplomatas russos da sua embaixada", afirmou.

PS nega estar condicionado por PCP e Bloco e acusa PSD de criar caso "inexistente"
O PS acusou hoje o PSD de forçar um "inexistente" nexo de causalidade entre a atual maioria de esquerda parlamentar e a posição do Governo português no caso "Skripal", não optando pela expulsão imediata de diplomatas russos.

Esta posição foi assumida em conferência de imprensa pelo vice-presidente da bancada socialista Pedro Delgado Alves, ocasião em que também apontou haver desconhecimento dos sociais-democratas em relação às posições do Bloco de Esquerda e do PCP sobre este caso.

Momentos antes o PSD acusara o Governo de ter uma posição "tímida e condicionada" pelo PCP e BE no caso "Skripal" e defendeu a expulsão imediata de diplomatas russos, tal como fizeram a maioria dos países da União Europeia.

O líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, anunciou ainda que o será requerida uma "audição urgente" do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, para dar esclarecimentos sobre esta matéria na Assembleia da República.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)