Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Ambientalistas pedem fim do uso do chumbo

Coligação C-6 considera que munições com metal contaminam água, solos, fauna e pessoas.
João Saramago 28 de Março de 2018 às 08:59
Ambientalistas reclamam medidas mais apertadas para a prática da caça
Caçadores
Caçador
Caçador
Ambientalistas reclamam medidas mais apertadas para a prática da caça
Caçadores
Caçador
Caçador
Ambientalistas reclamam medidas mais apertadas para a prática da caça
Caçadores
Caçador
Caçador
A coligação de seis organizações ambientalistas portuguesas, a C-6, defende que devem ser proibidas as munições com chumbo na caça e também interdita a caça à rola-brava. "Esta é uma espécie cujas populações diminuíram 79% desde 1980, em Portugal, e que enfrenta um sério risco de extinção em vários países da Europa", defende a C-6.

Para os ambientalistas "uma das situações mais graves é a caça com munições contendo granalha de chumbo. Portugal é um dos países europeus onde é possível caçar com estas munições, que contaminam a água, os solos, a fauna e as pessoas".

A C-6 considera insuficiente que "no nosso País, a proibição da utilização de munições com granalha de chumbo vigore apenas nas zonas húmidas dentro de áreas classificadas".

O parecer da coligação C-6, da qual fazem parte a Quercus e a Liga para a Protecção da Natureza, foi enviado ao gabinete do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas, há uma semana, revelou o dirigente da Quercus, Nuno Sequeira.

Aceites as propostas, estas poderão entrar em vigor a partir de agosto, no próximo calendário venatório. A proposta contra o uso de chumbo é contestada pelo caçadores. José Baptista, do Movimento Caçadores + Caça, diz que "não está provado que represente um mal para a Natureza".

Interdita a posse de animais selvagens 
A posse de animais selvagens, como macacos, elefantes, serpentes ou golfinhos está interdita mesmo para os que nasceram em cativeiro. A medida foi esta terça-feira complementada com a publicação, em Diário da República, da portaria que "identifica as espécies cujos espécimes são de detenção proibida".

A portaria determina um conjunto de exceções como os jardins zoológicos. Já nos circos só podem permanecer os animais anteriores a 2009.

Peste suína africana progride na Europa
A Comissão Europeia (CE) expressou preocupação perante o avanço da peste suína africana na Europa Central, devido ao aumento da população de javalis, que espalham a infeção.

Os técnicos da CE consideram que a única maneira de controlar a doença é com a caça diária ao javali.

SAIBA MAIS 
66,37€
É quanto custa a licença para se poder caçar por um período de um ano em Portugal. O preço da regional é de 37,21 euros e permite caçar em 1 de 5 regiões: Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve.

Menos caçadores
Portugal registou, desde 2010, uma redução significativa do número de caçadores. Em 2010, existiam 295 758 titulares de carta de caçador. Já em 2017, o total de cartas emitidas ficou pelos 255 165, ou seja, uma quebra de 40 593 titulares.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)