Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa perde rasto a 100 mil euros

Auditoria às contas da associação coloca em causa gastos e denuncia falta de documentos.
Pedro Ramos Bichardo 26 de Novembro de 2019 às 17:17
Faculdade de Direito
Faculdade de Direito FOTO: Inês Gomes Lourenço

Uma auditoria feita às contas da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa coloca em causa gastos e denuncia falta de documentos.

Os atuais e antigos presidentes e tesoureiros da Direção da Associação Académica - entre 2014 e 2019 - terão de explicar onde foram aplicados os mais de 94 mil euros das despesas sem documentos e do levantamento de 15 mil em numerário, assim como as despesas de aluguer de automóveis, plataformas eletrónicas de transportes e de filmes e séries de televisão, além de despesas no estrangeiro que superam os 1000 euros.

A denuncia é feita no relatório de auditoria às contas correspondentes ao período de 1 de maio de 2014 a 30 de abril de 2019, realizado pela Grant Thornton. Os valores fazem parte do total de despesas sem documentos que a 31 de maio já ascendiam a mais de 94 mil euros. Uma tendência crescente desde 2014, altura em que o valor gasto em pagamentos sem fatura se fixava nos 11.230 euros. 

O Conselho Fiscal da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa (AAFDL) já reagiu e fala em "drástica evolução". Recorda a "importância da diminuição/inexistência de despesas não documentadas". 

Mas os valores com fins desconhecidos não terminam por aqui. A 26 de setembro de 2018 foi feito um levantamento em numerário de 15 mil euros. "A documentação de suporte a este lançamento contabilístico corresponde ao talão de levantamento de numerário, que não tem qualquer assinatura nem evidência de quem levantou o dinheiro", sublinha o relatório de auditoria. 

Através de um parecer, o Conselho Fiscal fez saber que "procurou averiguar a razão de ser deste levantamento". A direção da AAFDL justificou a quantia como "um adiantamento feito pela AAFDL relativo ao contrato feito" com uma empresa de cervejas. Mas dado o facto de o valor estar, até agora, sem documentação ou prova da reposição "o Conselho Fiscal considera este valor incompreensível, devendo o mesmo ser explicado pelos responsáveis". Recomendação que pode ser realizada já na tarde desta terça-feira na Reunião Geral de Alunos (RGA), que decorre num anfiteatro da Faculdade de Direito, em Lisboa. 

Um dos pontos da ordem de trabalhos é a apresentação de resultados e discussão da auditoria que coloca em causa a gestão da AAFDL. O Correio da Manhã sabe que, pela primeira vez, a RGA está fechada ao público em geral. Apenas os atuais estudantes da faculdade, os ex-dirigentes associativos e associados honorários poderão estar presentes.

A Associação Académica da faculdade de Direito de Lisboa é uma das mais antigas e importantes do País. Pela direção passaram nomes como Durão Barroso, Pedro Santana Lopes ou Jorge Sampaio.

Conselho Fiscal da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa RGA Lisboa AAFDL política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)