Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Católica faz acordo com universidade do aborto

Católicos contestam acordo com Universidade de Masstricht e escrevem ao Papa.
Secundino Cunha 25 de Julho de 2017 às 01:30
Universidade Católica
Universidade Católica
Universidade Católica
Universidade de Maastricht é conhecida por trabalhar áreas como o aborto
Universidade Católica
Universidade Católica
Universidade Católica
Universidade de Maastricht é conhecida por trabalhar áreas como o aborto
Universidade Católica
Universidade Católica
Universidade Católica
Universidade de Maastricht é conhecida por trabalhar áreas como o aborto
O Vaticano decidiu analisar o protocolo de colaboração assinado pela Universidade Católica Portuguesa (UCP) com a Universidade de Maastricht (Holanda), para a criação de um curso de Medicina, depois de a Congregação para a Educação Católica ter recebido uma exposição, enviada por um grupo de católicos portugueses, em que o acordo é fortemente criticado.

O documento, que já se encontra na mesa de trabalho do cardeal Giuseppe Versaldi, questiona a ligação da UCP a Maastricht, universidade conhecida pelo trabalho em áreas como o aborto e a eutanásia. "Que garantias existem, por parte desta universidade, que não partilha nenhum dos valores e princípios cristãos, de que o ensino ministrado se manterá fiel ao magistério da Igreja?", questionam os católicos, que recorreram ao Vaticano depois de não terem recebido resposta dos bispos portugueses.

O acordo com Maastricht e o anúncio do curso de Medicina "para breve" foram revelados por Alexandre Castro Caldas, diretor do Instituto de Ciências da Saúde da UCP. O CM tentou um esclarecimento do patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, que preside o Conselho Superior da UCP, que remeteu para a reitora, Isabel Capeloa Gil.

O assunto deve ser abordado na próxima assembleia plenária da Conferência Episcopal, em novembro.

Grupo denuncia "jogos políticos"
No processo enviado para Roma, o grupo refere que o acordo entre as universidades tem jogos políticos e ligações à Maçonaria. Dão o exemplo de  um vereador da Câmara de Cascais, entidade que cede terrenos para o polo universitário, estar a tirar um doutoramento em Maastricht.

"É um curso fiel aos princípios da Igreja"
Isabel Capeloa Gil assegura, em comunicado, que o curso de Medicina da Universidade Católica será "fiel aos princípios da Igreja" e que o acordo com Maastricht só tem a ver com o que diz respeito ao modelo pedagógico.

"É um projeto de Medicina que responde e se guia por aquilo que são os princípios da Igreja relativamente à vida, à defesa da vida, ao fim da vida e à dignidade humana", assegura a reitora da Universidade Católica.

SAIBA MAIS
1971
é o ano em que o Estado reconhece oficialmente a Universidade Católica Portuguesa. O decreto Humanam Eruditionem institui a universidade, cuja missão de investigação é completada por uma formação integral inspirada nos valores cristãos.

Maastricht, na Holanda
É uma cidade holandesa, com cerca de 120 mil habitantes. A universidade foi criada em 1976. É uma das mais recentes no país. Tem cerca de 13 mil alunos, dos quais quase metade são estrangeiros.
Ver comentários