Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Doar sémen vale 43 euros por dose

As mulheres que doem óvulos podem receber até 870 euros. Apresentada campanha “Dá Vida à Esperança”.
Edgar Nascimento e Susana Pereira Oliveira 10 de Março de 2019 às 01:30
A carregar o vídeo ...
As mulheres que doem óvulos podem receber até 870 euros. Apresentada campanha “Dá Vida à Esperança”.

Os dadores de espermatozoides podem ser compensados com um valor máximo de 43€ por cada dádiva. Já as dadoras de óvulos podem receber, pelas despesas efetuadas, ou prejuízos resultante das dádivas, até 870€. Doar espermatozoides e óvulos tem essa contrapartida financeira para compensar os dadores pelos custos e incómodos do processo. Os valores da compensação são pagos pelas clínicas privadas, onde são feitas as doações, ou pelo Estado, no caso de o ato ser realizado em hospitais públicos.

Pedro Xavier, presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução (SPMR), explica que a doação masculina ou feminina "são processos diferentes e relativamente simples". No caso da mulher, que tem de ter entre 18 e 35 anos e ser saudável, é feito um "tratamento de procriação medicamente assistida". Há uma fase inicial de estimulação de ovários, "feita com uma medicação, sob anestesia", e depois é feita a recolha dos óvulos que serão doados às beneficiárias. O tratamento pode demorar até 15 dias e a mulher consegue doar 10 a 20 óvulos. Já os homens têm de ser igualmente saudáveis, mas o limite de idade vai até aos 40 anos. "O processo é mais simples, basta uma recolha normal de espermatozoides", especifica Pedro Xavier.

As taxas de sucesso nos tratamentos de fertilidade, com recurso a espermatozoides e óvulos doados, são "altíssimas", diz o assistente hospitalar de Ginecologia e Obstetrícia no Centro Hospitalar de São João, no Porto. A taxa de sucesso numa mulher que recebe óvulos aos 43 anos ronda os 10%. Se o óvulo for de uma dadora de 23 anos, a taxa é de 60 a 65%. O risco de insucesso é maior se os óvulos e os espermatozoides estiverem "envelhecidos".

Portugal só tem 86 dadores por cada milhão de habitantes
De acordo com dados de 2018 da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia, em 2016 Portugal tinha 86 dadores por cada milhão de habitantes. Já Espanha apresenta valores que atingem os 650 dadores por milhão. Pedro Xavier afirma que é "importante e urgente doar". As principais razões são a "natalidade baixíssima" de Portugal e o "aumento de infertilidade", devido a fatores ambientais e à idade avançada em que a população procura ter o primeiro filho.

SAIBA MAIS 
6000
Euros é quanto pode custar um tratamento de infertilidade numa clínica privada. Os valores variam consoante as técnicas empregues e os exames realizados.

Serviços públicos
Vários hospitais públicos portugueses e clínicas têm disponíveis consultas de fertilidade e possíveis tratamentos, quer masculinos quer femininos.

Taxa de fertilidade
A taxa de fertilidade em Portugal é de 1,3 filhos por mulher em idade fértil. É uma das taxas mais baixas na Europa, sendo um dos motivos que leva ao envelhecimento da população.




Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)