Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Grades, fitas e horário restrito: conheça as medidas da PSP para os Santos Populares em Lisboa

"Estamos a evitar que Lisboa chegue aos 240 casos para evitar que recue", disse o delegado da Administração regional de LVT.
João Saramago 8 de Junho de 2021 às 15:27
A carregar o vídeo ...
Grades, fitas e horário restrito: conheça as medidas da PSP para os Santos Populares em Lisboa
Já são conhecidas as medidas a ter em conta relativamente aos festejos dos Santos Populares em Lisboa tendo em conta a pandemia da Covid-19 que o País atravessa. As restrições vão ter início amanhã e decorrem até ao próximo domingo, dia 13 de junho.

As medidas foram anunciadas no Comando Metropolitano de Lisboa, em Moscavide, onde estiveram presentes Domingos Urbano Antunes, Superintendente da PSP; António Carlos da Silva, Delegado da Administração regional de Lisboa e Vale do Tejo e Paulo Brisos, Comissário da polícia municipal de Lisboa.

Conheça as medidas:
- Restrições de acesso ao Bairro Alto a partir da Avenida 24 de Julho e do Cais do Sodré;
- Restrições reforçadas nos Miradouros da cidade com grades e fitas;
- Maior controlo entre as 23h00 e as 02h00;
- Fiscalização na rua contra os ajuntamentos;
- Fiscalização do comércio, nomeadamente no cumprimento do horário estabelecido;
- Não são permitidos fogareiros na via pública;
- Controlo de acesso na Madragoa e Alfama caso seja necessário;
-Aconselhamento a não sair de casa;
- Após fecho do comércio, só poderão entrar nos bairros lisboetas os moradores.

Apelo aos portugueses
António Carlos da Silva, Delegado da Administração regional de Lisboa e Vale do Tejo, lembrou que este é um momento difícil de aumento de casos  de Covid-19 em toda a cidade. "Estamos a evitar que Lisboa chegue aos 240 casos para evitar que recue", afirmou.

"Como é sobejamente conhecido, os ajuntamentos propiciam uma cadeia de contágio e compete à polícia fazer cumprir a legalidade. Em primeiro lugar, porque existe um dever cívico ainda de recolhimento domiciliário, isto é importante que todos saibamos: só devemos sair de casa apenas para deslocações absolutamente indispensáveis", apelou o superintendente da PSP Domingos Antunes.

Uma vez que foi determinado que não havia qualquer tipo de licenciamento de festas, nem romarias, nem arraiais, a PSP vai estar atenta, "de forma preventiva", articulando com a Polícia Municipal de Lisboa, para que se evitem ajuntamentos durante o período dos santos populares, inclusive nos bairros históricos da Madragoa, Alfama e Bairro Alto.

"Há uma particular preocupação da polícia que é evitar o consumo de bebidas alcoólicas na via pública, isso é objeto de uma infração contraordenacional, a polícia não deixará de promover os autos", afirmou o superintendente da PSP, revelando que, até ao momento, já foram levantados na Área Metropolitana de Lisboa "cerca de 15 mil autos por violação a este regime legal do quadro pandémico, quer de emergência, quer de calamidade".

Domingos Antunes reforçou que "as pessoas não devem sair de casa e deslocar-se para estas zonas, sobretudo do coração da cidade", reiterando que vão existir "fortes restrições".

"Sempre que verificarmos que existe uma maior afluência a esses bairros - Madragoa, Alfama, Bairro Alto -, nós vamos impedir o acesso e vamos condicionar o acesso, naturalmente às pessoas que não são residentes ou que não tenham uma justificação para se deslocar a esses locais", referiu o responsável da PSP, acrescentando que vão ser colocadas previamente grades e fitas a isolar essas zonas.

Devido à pandemia de covid-19, as festas de Lisboa também não se realizaram em 2020 e o histórico desse ano é que, mesmo com os estabelecimentos de restauração a funcionar, as pessoas "cumpriram genericamente e generalizadamente as orientações sanitárias", apontou o superintendente da PSP.

Apelando ao cumprimento das medidas, Domingos Antunes disse que a PSP será "intransigente", em particular nas situações de ajuntamentos e de consumo de bebidas alcoólicas, em que "não tolerará esse tipo de comportamentos, portanto vai ter de atuar de acordo com o princípio da legalidade".

"Todo o nosso esforço vai iniciar-se amanhã [quarta-feira], já com grandes operações de visibilidade, em particular com controlo rodoviário", informou o responsável da PSP, acrescentando que também haverá fiscalização preventiva dos estabelecimentos, para assegurar o cumprimento de horários de encerramento e da lotação de pessoas no interior e nas esplanadas.

Durante esta operação, a PSP terá disponíveis "todas as valências e fez, inclusivamente, um aumento do grau de prontidão para poder estar em maior número nas ruas", tendo também solicitado a colaboração da Unidade Especial de Polícia, com o Corpo de Intervenção e com o Grupo Operacional Cinotécnico.

Já a Polícia Municipal de Lisboa está a desenvolver uma operação de sensibilização e de fiscalização, que se iniciou na passada quinta-feira, 03 de junho, e que decorre até à próxima segunda-feira, 14 de junho, visando o cumprimento das normas em vigor relativamente a eventos e ajuntamentos de pessoas na via pública, cumprimento de horários nos estabelecimentos e de outras situações como "fogareiros na via pública, que não são permitidos".

"Nesta ação, durante estes cerca de 12 dias que estamos no terrenos, irão ser empregues cerca de 760 elementos da Polícia Municipal, em estreita colaboração com o Comando Metropolitano da PSP de Lisboa", expôs Paulo Brissos, comissário da Polícia Municipal de Lisboa?.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Santos Populares Covid-19 Lisboa País crime lei e justiça polícia
Ver comentários