Investigadoras afirmam que não se deve desistir de carreira por causa da família

"Apesar de todos os desafios, não significa que tenhamos de desistir das nossas carreiras", defendem as investigadoras.
12.02.19
  • partilhe
  • 0
  • +
Um grupo de investigadoras da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) defenderam esta terça-feira que, apesar dos vários "desafios", as mulheres não devem deixar "a carreira científica por causa da família".

Em entrevista à Lusa, Sofia Sousa, investigadora no laboratório de Engenharia de Processos, Ambiente, Biotecnologia e Energia da FEUP, recordou as desigualdades sentidas durante a maternidade, quando o "trabalho extra" familiar afetou a "produtividade" no trabalho.

"Tenho duas filhas, uma com seis anos e outra com dois, e, apesar de ter conseguido conciliar as duas coisas, a maternidade afetou a minha produtividade durante o período em que elas eram mais pequeninas", contou, durante o "Global Women's Breakfast: empowering women through chemistry", uma iniciativa que decorreu esta manhã na FEUP e reuniu à volta de seis mesas cerca de meia centena de mulheres.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!