Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Lisboa ajuda pessoas com problemas de saúde mental através da arte e da criatividade

Um em cada cinco portugueses sofre de problemas de saúde mental.
10 de Abril de 2019 às 13:29
Saúde mental
Saúde mental
Saúde mental
Saúde mental
Saúde mental
Saúde mental
Saúde mental
Saúde mental
Saúde mental

Lutar contra o estigma em torno da doença mental pode ser uma batalha, mas um novo estudo realizado em Lisboa está a recorrer às artes e à criatividade para ajudar as pessoas afetadas, num ambiente livre e fácil.

Um em cada cinco portugueses sofre de problemas de saúde mental, de acordo com um relatório publicado pela OCDE no ano passado, que também mostrou que Portugal tem a quinta maior percentagem de pessoas afetadas por doenças mentais na União Europeia.

O espaço "Manicomio", que em português significa "asilo mental", foi apresentado na semana passada e agora, na sequência do estudo realizado, corresponde a um local onde pacientes podem criar e exibir obras de arte, como pinturas ou esculturas, longe de hospitais psiquiátricos.

"Fui hospitalizada sete vezes e foi muito doloroso", disse Anabela Soares, de 50 anos, que faz esculturas para ajudar a lidar com esquizofrenia e transtorno bipolar. "As pessoas não sabem como é bom ter um espaço onde haja liberdade para criar, para nos livrar-mos dos 'pequenos monstros' que estão dentro de nós."

O mentor do projeto é Sandro Resende, de 44 anos, que trabalhou como professor de artes em hospitais psiquiátricos portugueses durante duas décadas. Para o apoiar neste projeto recrutou os artistas amadores do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa.

O projeto é financiado principalmente por empresas privadas, com apoio da agência de turismo do Estado.

Ciro Oliveira, médico do hospital psiquiátrico, considera este "projeto muito interessante" porque permite que os pacientes "criem obras de arte sem o estigma associado ao internamente hospitalar".

"Há uma ideia de que aqueles que têm doenças mentais são lunáticos e não podem levar uma vida normal", disse a artista Cláudia Sampaio, de 37 anos, que faz consultas semanais no hospital psiquiátrico. "Este projeto desmistifica essa ideia."

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)