Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Mais de 1.500 pescadores sem ir ao mar há dois dias

Comunidade admite consequências nos rendimentos.
15 de Dezembro de 2015 às 14:22
O mau tempo tem atingido a região
O mau tempo tem atingido a região FOTO: Direitos Resrvados

O mau tempo está esta terça-feira a obrigar 1.500 pescadores de sete das nove ilhas dos Açores a continuar em terra pelo segundo dia consecutivo, situação que, a manter-se, terá consequências nos rendimentos, disse o presidente da Federação das Pescas.

"Vamos continuar a aguardar melhorias nas condições do tempo para que os pescadores voltem a exercer a sua atividade. Neste momento, as previsões ainda carecem de alguma atenção especial e, enquanto assim for, obviamente que não irão sair para o mar e estamos a prever [que a situação se mantenha] durante mais cerca de dois dias", afirmou à Lusa o presidente da Federação das Pescas dos Açores, Gualberto Rita, acrescentando que "estão em terra nas ilhas dos grupos central e oriental 300 embarcações".

Adiantando que a comunidade piscatória das ilhas de São Miguel e Santa Maria (grupo oriental) e Terceira, Graciosa, São Jorge, Faial e Pico (grupo central) aguarda pelas condições meteorológicas "dos próximos dias", Gualberto Rita considerou ser "prematuro estar a contabilizar as consequências" em termos financeiros para os pescadores.

As ilhas dos grupos oriental e central estiveram na segunda-feira sob aviso vermelho, o mais grave numa escala de quatro, devido a condições atmosféricas adversas.

O mau tempo provocou um morto e a Proteção Civil regional contabilizou 157 incidentes, tendo as operações de socorro envolvido 440 operacionais e 109 viaturas.

Escolas, tribunais e serviços municipais fecharam e mais de 1.600 passageiros ficaram em terra devido ao cancelamento de dezenas de voos.

Açores presidente da Federação das Pescas pescas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)